23°
Máx
12°
Min

Dia Nacional da Adoção arrecadará donativos para Recanto da Criança

Foto: Divulgação - Dia Nacional da Adoção arrecadará donativos para Recanto da Criança
Foto: Divulgação

Além de proporem o debate e a reflexão sobre o tema, as atividades do Dia Nacional da Adoção em Cascavel também terão um caráter beneficente. O evento, que será realizado na próxima quarta-feira (25), às 19h45, no Teatro Municipal, terá entrada gratuita, mas os interessados em participar estão sendo motivados a levar pacotes de fralda ou caixas de leite que serão doados ao Recanto da Criança - entidade que há 45 anos oferece acolhimento provisório a menores em situação de risco social, atendendo hoje, em casas-lares, a cerca de 30 crianças com idade entre 0 e 12 anos.

Diversas autoridades - como o juiz da Vara da Infância e da Juventude da Comarca de Cascavel, Dr. Sérgio Luiz Kreuz - já confirmaram presença no Dia Nacional da Adoção. Atrações artísticas relacionadas ao tema também prenderão a atenção do público.

Vindo diretamente de São Paulo, o compositor Arthur Moreira acompanhará, da plateia, a apresentação de músicos locais que executarão "Filho Adotivo", canção eternizada por Sérgio Reis e escrita em parceria com Sebastião Ferreira da Silva. Esta música será a trilha de uma campanha publicitária que será lançada no evento, a qual foi interpretada por Ricardo Denchuski e pelos músicos Toninho Acuña (piano), Yves Monteiro (percussão), Adriano Siqueira (baixo elétrico), Anderson Lopes (violão), Eduardo Viola (viola), Marquinhos (saxofone) e Renan Ferreira (acordeom).

A parte musical será completada por apresentações do Coral Municipal de Cascavel, do Zenshin Daiko e de crianças atendidas pelo Recanto, mas a emoção do evento vai muito além. Diversas famílias que vivem a rica experiência de educar "filhos do coração" darão depoimentos durante o evento.

Entre eles, o casal Lilian e Nicácio Moura, de Maringá, que adotaram Ana Vitória, uma adolescente com paralisia cerebral que recebe deles um amor incondicional.

O Dia Nacional da Adoção terá ainda depoimentos de pessoas cadastradas no "Família Acolhedora", serviço do Município de Cascavel que propicia um ambiente familiar a crianças que estão afastadas dos seus pais biológicos e/ou à espera de uma adoção.

Devido à sua amplitude, esta causa está mobilizando uma grande quantidade de voluntários e conta com o apoio de várias empresas, entidades e órgãos públicos: Blanco Lima Comunicação e Marketing, Instituto da Visão de Cascavel, FineArt Filmes, Prefeitura de Cascavel - Secretaria Municipal de Assistência Social e Secretaria Municipal de Cultura, Juizado de Direito da Comarca de Cascavel - Vara da Infância e da Juventude, Univel, Grupo de Apoio à Adoção de Cascavel (Gaac), RIC TV Record, Rede Outdoors, Abrigo São Vicente de Paula, Antiquarius, Nath´s Modas Brechó e Gráfica Positiva.

Sobre o Família Acolhedora

Criado em 2006, o Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora, do Município de Cascavel, tem o objetivo principal organizar o acolhimento de crianças e adolescentes afastados da família por medida de proteção determinada judicialmente em residência de famílias acolhedoras cadastradas.

O tempo de permanência depende do retorno à família de origem ou, quando isso não for mais possível, do encaminhamento para a adoção - ambos procedimentos realizados pelo Poder Judiciário.

Cabe à equipe do programa selecionar, capacitar, cadastrar e acompanhar as famílias acolhedoras, bem como realizar o acompanhamento de crianças e adolescentes acolhidos e de sua família de origem.

Este trabalho está focado na preservação e na reconstrução do vínculo com a família de origem, assim como a manutenção de crianças e adolescentes com algum grau de parentesco numa mesma família.

Com a Lei Federal 12.010/09, que passou a priorizar o acolhimento familiar em detrimento do acolhimento institucional (leia-se abrigos e orfanatos), a iniciativa ganhou ainda mais destaque. Na primeira quinzena de abril, 233 crianças e adolescentes estavam sendo beneficiadas pelo programa, abrigadas em 142 lares acolhedores.

Á época, outras oito famílias encontravam-se em cadastro reserva.

Para manter a sua individualidade, permite-se que apenas uma criança ou adolescente sob acolhimento fique em cada lar, a não ser que acompanhada por irmãos, primos ou pessoas com grau de parentesco próximo.

"Esta opção tem se mostrado mais eficaz, pois uma criança ou um adolescente educado no seio familiar terá mais chances de desenvolver-se com saúde mental e condições psicológicas condizentes para uma vida comunitária saudável", destaca o diretor da Secretaria Municipal de Assistência Social, Hudson Moreschi.

"O Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora não se caracteriza em adoção, uma vez que família que acolhe irá apoiar a família de origem na sua função protetiva para que seja viabilizado o retorno da criança ou do adolescente. Se isto não for possível, a família acolhedora irá dispensar cuidados até que seja viabilizada a adoção", detalha.

Neste aspecto, o programa tem sido bem-sucedido, tornando-se referência nacional em reintegrações familiares e adoções. De acordo com dados da Vara da Infância e Juventude da Comarca de Cascavel, os municípios de Cascavel, Santa Tereza do Oeste e Lindoeste concentram, sozinhos, 10% das famílias acolhedoras do Brasil, o que faz deste serviço o maior do gênero na América do Sul.

"Em muitos países, inclusive nos mais desenvolvidos, nove em cada dez crianças e adolescentes em situação de risco social são colocadas em abrigos. Aqui, no entanto, a proporção é inversa: cerca de 95% das pessoas que se fazem parte deste grupo aguardam em uma família acolhedora por uma definição", pontua Dr. Sérgio Kreuz.

Hudson observa importantes progressos de crianças e adolescentes nesses dez anos de trabalho. "Verificamos que os menores de 6 anos têm demonstrado melhores condições, por exemplo, de estimulação motora e vinculação afetiva.  Em relação às crianças maiores de 6 anos e aos adolescentes, estes têm conseguido estabelecer vínculos afetivos e de confiança mais consistentes, além da abstinência do uso de drogas (lícitas ou ilícitas), melhora no desempenho escolar, iniciação ao mundo do trabalho e afastamento da criminalidade", relata.

Colaboração: Assessoria de imprensa