23°
Máx
12°
Min

Direção confirma que Hospital Evangélico vai suspender atividades

(Foto: Marrara Laurindo / Rede Massa) - Direção confirma que Hospital Evangélico vai suspender atividades
(Foto: Marrara Laurindo / Rede Massa)

Em nota encaminhada à imprensa na manhã desta quinta-feira (7), a direção do Hospital Evangélico de Ponta Grossa confirmou que o atendimento será suspenso para adequações na estrutura do prédio e para revitalização da equipe técnica. O comunicado é assinado pelo presidente Cassiano Ianke e pelo vice-presidente Carlos Roberto Justus Madureira.

De acordo com o vice-presidente, a previsão inicial é que o atendimento fosse interrompido no dia 30 de março, mas uma negociação entre a direção do hospital e a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) estendeu esse prazo por mais 30 dias. 

A 3ª Regional de Saúde informou que o atendimento será interrompido no fim do mês de maio e todas as atividades serão transferidas para o Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais (HURCG). O Evangélico tem uma média de 400 internamentos por mês e realiza cerca de 280 partos mensalmente.

O diretor do HURCG, Everson Krum, confirmou que a negociação para a transferência do atendimento já acontece há cerca de 20 dias. O setor de Obstetrícia será instalado no quarto andar do prédio. Serão 32 leitos e a licitação para as obras de adequação já está em andamento para ser publicada em Diário Oficial nos próximos dias.

Veja abaixo a íntegra da nota oficial da direção do Hospital Evangélico:

A Sociedade Evangélica Beneficente de Ponta Grossa - SEBPG, na qualidade de mantenedora do Hospital Evangélico de Ponta Grossa, vem noticiar o que segue:

O Hospital Evangélico de Ponta Grossa teve sua estrutura construída na década de 60, iniciando suas atividades em meados de 1980 prestando serviço de excelência nesta cidade no âmbito hospitalar na especialidade de Ginecologia e Obstetrícia como principal maternidade da cidade, porém ao longo dos anos novas exigências legais e sanitárias foram regulamentadas e hoje sua estrutura física apresenta-se em discordância com alguns aspectos atualmente exigidos, necessitando, portanto passar por reformas e ampliações para que novamente possa ser um serviço de referencia em nossa cidade.

Aliado ao problema estrutural existe um grave problema financeiro. O HE, que pertence à Sociedade Evangélica Beneficente de Ponta Grossa sendo a mesma particular e filantrópica, atua como uma parceira da SESA, recebendo pacientes do sistema público de saúde. Tal participação tem alcançado um índice de 93% dos atendimentos. A questão é a de que os baixíssimos valores praticados pelo governo inviabilizam o funcionamento do hospital nesta situação.

A complementação da renda do HE se faz pelo atendimento de pacientes particulares e de convênios. Os quais deixaram de procurar a instituição devido a fatos expostos ao público e maciçamente explorados pela imprensa local. Tal exposição não trouxe apontamentos para melhorias, somente abalaram a confiabilidade da instituição perante a sociedade.

Considerando a gama de fatores descritos e o inevitável colapso total do atendimento, a SEBPG decidiu em Assembléia, pela interrupção temporária do atendimento. Esta interrupção visa adequar a estrutura física, modernizar equipamentos e revitalizar a equipe técnica da instituição, além de negociar formas de incrementar os repasses praticados pelo governo, buscando o equilíbrio econômico.

Desde o momento em que a instituição relatou aos órgãos competentes (SESA, Secretaria Municipal de Saúde e Ministério Público) a gravidade da situação, diversas reuniões foram realizadas. Em todo o tempo, a SESA se mostrou extremamente solidária à situação, se comprometendo a viabilizar as reformas e aquisição de equipamentos, bem como rediscutir os repasses destinados ao HE.

Diversas possibilidades foram e estão sendo discutidas, envolvendo todas as esferas responsáveis, pois o único objetivo da SEBPG é retomar um atendimento de qualidade, voltando a ser uma maternidade de referência nos Campos Gerais.

Tão logo se tenha uma definição da situação será repassada à imprensa para ampla divulgação.