27°
Máx
13°
Min

Direção do Evangélico pede interrupção das atividades

(Foto: Marrara Laurindo / Rede Massa) - Direção do Evangélico pede interrupção das atividades
(Foto: Marrara Laurindo / Rede Massa)

Há menos de um mês, o Hospital Evangélico de Ponta Grossa está sob nova direção e a primeira medida adotada pela nova administração irá afetar o atendimento na unidade. Eles entraram com um pedido de interrupção das atividades.

O hospital é alvo de uma série de polêmicas e investigações após denúncias de mau atendimento. Com a alegação de resolver os problemas, a nova administração pediu a interrupção o atendimento a gestantes e recém-nascidos. A diretoria alega que está com o caixa no vermelho e sem dinheiro para arcar com os procedimentos. Além disso, a direção precisa do lugar disponível para realizar reformas, já que o prédio é da década de 60.

O vereador Pietro Arnaud, presidente da Comissão Especial de Investigação (CEI) das Maternidades da Câmara Municipal de Ponta Grossa, já está ciente da solicitação. “Isso [pedido de interrupção] mostra o reconhecimento de que as acusações e as ilegalidades feitas pela CEI são verdadeiras. Mostra a boa-fé da diretoria e a intenção de resolver os problemas”, comenta.

A 3ª Regional de Saúde confirmou o pedido feito pelo Hospital Evangélico, mas ainda não passou um posicionamento. Na próxima semana, representantes da Regional devem se reunir com a diretoria do hospital para resolver como serão realocados os leitos. A sugestão do Evangélico é que a demanda seja encaminhada para a Santa Casa e para a Maternidade Santana.

Colaboração Marrara Laurindo, da Rede Massa.