21°
Máx
17°
Min

Dois homens são presos suspeitos de matar policial civil no Capão Raso

Suspeitos presos por latrocínio e outro por receptação (Foto: Divulgação/PCPR) - Dois homens são presos suspeitos de matar policial civil no Capão Raso
Suspeitos presos por latrocínio e outro por receptação (Foto: Divulgação/PCPR)

Duas pessoas foram presas suspeitas de envolvimento na morte do escrivão da Polícia Civil, Sérgio Antonio Szlanda, de 46 anos. Ele foi baleado e morto na última terça-feira (23) após um assalto a uma farmácia no bairro Capão Raso, em Curitiba.

Howard dos Santos Oliveira, de 31 anos, e Cleverson Santos, de 22 anos, foram detidos pela equipe de policiais do Centro de Operações Policiais Especiais (COPE) que investigou o caso. Cleverson confessou que foi ele quem atirou contra o escrivão e Oliveira seria o dono do revólver utilizado no crime e quem teria ficado com a arma de Szlanda. Para o secretário da Segurança Pública, Wagner Mesquita, as investigações foram intensas para elucidar o crime.

"Os policiais do Cope não só prenderam o autor do homicídio, mas também os receptadores do produto roubado”.

De acordo com o delegado chefe do Cope, Rodrigo Brown, o caso está completamente elucidado. 

“Crime contra o policial não pode ficar impune, uma vez que somos o muro que separa o crime da sociedade. Quando os tijolos desse muro começam a ruir, toda a sociedade fica em perigo”

Segundo as investigações, Howard e Cleverson chegaram até a farmácia em uma motocicleta YBR de cor azul. Cleverson desceu da moto, entrou no estabelecimento e, de posse de um revólver calibre 38, anunciou o assalto – enquanto que Howard o aguardava na motocicleta para empreender fuga. Dentro da farmácia, Cleverson exigiu o dinheiro, relógio e celular das pessoas que estavam no local – entre eles o escrivão.

Após atirar em Szlanda, a dupla fugiu de moto para o bairro Sabará, em Curitiba, onde venderam o celular do escrivão para um homem identificado como Luis Carlos dos Santos, de 56 anos, pela quantia de R$ 150. Este, por sua vez, revendeu o aparelho no dia seguinte para Carlos de Souza Cardoso por R$ 300. Os dois também foram presos suspeitos de receptação.

Um revólver calibre 38 foi apreendido pelos policiais do Cope com Domingos Ferreira Bastos, de 51 anos. A arma será encaminhada para exame de balística na Polícia Científica para saber se é o revólver utilizado por Cleverson para matar o escrivão. Já a pistola de Szlanda, roubada durante o assalto na farmácia, foi encontrada na casa de Howard no bairro da CIC, em Curitiba. A moto usada no crime também foi apreendida pelos policiais.

Antecedentes

Cleverson afirmou que não tinha conhecimento de que a vítima era policial, sendo que sua intenção seria apenas assaltar o estabelecimento comercial. Ele possui várias passagens pela polícia e já foi preso em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas, associação criminosa, furto e porte de arma, além de participação em rebeliões em cadeias. Já Howard veio do estado de São Paulo, onde foi condenado a 11 anos de prisão por roubo, tendo cumprido quatro anos da pena em regime fechado. Luis Carlos tem passagem por roubo, já Cardoso e Bastos não tinham antecedentes criminais.

Howard e Cleverson foram autuados pelo crime de latrocínio e posse de arma de fogo de uso restrito. Se condenados, a duplo podem pegar até 30 anos de prisão. Luis Carlos e Carlos de Souza Cardoso foram autuados por receptação e Bastos por porte ilegal de arma e munições. A Justiça arbitrou fiança e Luiz Carlos e Cardoso deixaram a carceragem do Cope. O restante está preso na carceragem temporária do Cope e à disposição da Justiça.

Informações Policia Civil do PR