28°
Máx
17°
Min

Dono de aeronave que caiu em Jaguapitã será ouvido no MS

(Foto: WhatsApp/Rede Massa) - Dono de aeronave que caiu em Jaguapitã será ouvido no MS
(Foto: WhatsApp/Rede Massa)

A Polícia Civil de Jaguapitã segue investigando as causas da queda de um avião experimental na tarde de 26 de fevereiro em uma fazenda na área rural da cidade, a 66 quilômetros de Londrina.

Morreram no acidente o empresário Paulo César de Oliveira, 62 anos, e a mulher dele, a advogada Jane Resina de Oliveira, de 54 anos.

(Foto: Reprodução/Facebook)

O avião, um Flyer Pelican 500BR de prefixo PU-RDC, ficou completamente destruído. Como trata-se de uma aeronave experimental, a investigação fica apenas a cargo da Polícia Civil, sem os trabalhos do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa).

O delegado Maurício Camargo depende de um depoimento do dono da aeronave, Wagner Gonçalves de Lima, para concluir o inquérito. O depoimento será feito em Campo Grande (MS), por meio de carta precatória. “A pessoa responsável por este avião será ouvida. Ainda é prematuro falar em indiciamento, pois não temos informações que apontem para esta responsabilidade, já que todas as manutenções estavam em dia”, garante o delegado.

As informações colhidas até o momento apontam para uma fatalidade. “Uma peça teria se soltado do avião quando o piloto entrou em turbulência no meio de uma nuvem. No áudio gravado na aeronave, o piloto relata a questão do mau tempo, que certamente contribuiu para o acidente”,completa Camargo.