21°
Máx
17°
Min

Em dois meses, quase 80 crimes envolveram adolescentes

(Foto: Divulgação / Rede Massa) - Em dois meses, quase 80 crimes envolveram adolescentes
(Foto: Divulgação / Rede Massa)

O caso de latrocínio ocorrido dentro de uma casa noturna em Ponta Grossa no último dia 28 chama a atenção por um dado alarmante. Entre os envolvidos no assalto que culminou com a morte de uma funcionária da boate, estavam vários adolescentes. Pelo menos um deles já tinha quatro passagens e era suspeito de envolvimento em uma série de assaltos a estabelecimentos comerciais. E o número de menores envolvidos em crimes chama a atenção na cidade.

Somente nos dois primeiros meses deste ano, foram 79 casos envolvendo adolescentes, uma média de quase 10 por semana. No mesmo período do ano passado, foram 76 casos, segundo dados da Polícia Civil.

O delegado responsável pela Delegacia do Adolescente de Ponta Grossa, Flávio Zanin, explica que existem punições a partir dos 12 aos 18 anos incompletos, mas elas seguem as normas do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Os casos são analisados pela Justiça e os menores são encaminhados para cumprirem medidas socioeducativas. Mas o alto índice de reincidência coloca em cheque a eficiência dos programas de ressocialização.

“Os índices de reincidência no país como um todo são bastante altos, até porque as condições referentes à prática da infração não são corrigidas, nosso sistema carcerário e o sistema socioeducativo não atendem aos fins a que são propostos”, comenta o delegado.

Embora não acompanha casos de menores infratores, o Conselho Tutelar atende a muitos adolescentes que têm problemas com drogas e vêm de famílias desestruturadas. Na maior parte dos casos, esse é o perfil de jovem que se envolve no crime. “Pelo uso da droga ele vai furtar, ele vai realizar esse ato infracional por causa da dependência química e da desestrutura familiar que é a característica principal, vemos que falta apoio da família para ajudar esses adolescentes”, comenta Camila Bortoli, do Conselho.

Colaboração Maira Zimermann, da Rede Massa.