21°
Máx
17°
Min

Em duas ações distintas, Polícia Civil desarticula quadrilhas de tráfico de drogas que agiam em Curitiba

Polícia Civil desarticula duas quadrilhas de tráfico em Curitiba

Em duas ações distintas realizadas na manhã desta quinta-feira (13), a Polícia Civil desarticulou duas quadrilhas especializadas em tráfico de drogas. De acordo com a delegada responsável pelas ações, Camila Cecconello, os grupos agiam em duas regiões da cidade, no Centro e nos bairros Boqueirão e Hauer.

No Centro, a quadrilha estava estabelecida na Rua Cruz Machado. “Fizemos um trabalho de levantamento do local de aproximadamente um mês. Constatamos através de imagens, que o grupo se utilizava de pequenos traficantes, os chamados vapores, que ficavam por ali abordando os veículos e oferecendo cocaína para quem passasse pelo local”, relatou a delegada. “Para tentar despistar a polícia, eles mantinham pouca quantidade de drogas junto ao corpo e escondiam o entorpecente nas floreiras e até nos paralelepípedos por ali, porque se fossem abordados, seriam enquadrados como usuários pela pequena quantidade de drogas que tinham em seu poder”, acrescenta.

A delegada revelou que nesta ação, 15 pessoas foram detidas. “São oito menores e várias mulheres”, disse. “Foram apreendidos ainda dinheiro e drogas”.

Outra ação

Na outra ação da polícia, nos bairros Boqueirão e Hauer, 11 pessoas foram presas e uma segue foragida. Entre os presos está o homem identificado como “Bolinha”, e apontado pela polícia como comandante do tráfico na região. Conforme a delegada, apesar de morar em São José dos Pinhais, Bolinha passava o dia todo em um bar de sua propriedade no bairro Boqueirão. “O bar era usado para lavagem de dinheiro, na verdade constatamos que não existia atividade de bar ali, era apenas um ponto de encontro dos traficantes, de venda mesmo de drogas’.

As investigações apontaram que o grupo comprava 2 quilos de cocaína por semana. “Levando em conta que um quilo de cocaína custa cerca de R$ 22 mil, o gasto deles era de R$ 44 mil e o lucro, triplicado”.

Além das prisões, foram apreendidos os carros usados pelo grupo, R$ 13 mil e as contas usadas pelos traficantes foram bloqueadas.

Colaboração Assessoria Polícia Civil