22°
Máx
14°
Min

Em Pérola, família organiza caravana para cadastro de medula em busca de cura para Enzo Gabriel

(Foto: Divulgação) - Família organiza caravana em busca de cura para Enzo Gabriel
(Foto: Divulgação)

A família de Enzo Gabriel, de 11 meses, fará uma caravana de Pérola a Umuarama, nesta sexta-feira (13), para levar pessoas para o cadastro no banco de medula óssea. O bebê tem uma doença rara chamada granulomatose crônica e precisa de um transplante. A luta da família em busca da cura tem repercutido na internet, emocionando pessoas de todo o país.

Cícera Barbosa de Freitas, irmã da mãe de Enzo, Daniele de Freitas Vila Nova, contou que a criança continua internada no Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba, em tratamento há mais de um mês devido a uma pneumonia. Por causa da granulomatose, Enzo fica suscetível a doenças infecciosas.

Os médicos aguardam a melhora da pneumonia para liberar a volta do garotinho para casa. A família perdeu em março deste ano o irmão de Enzo, de apenas três anos, vítima da mesma doença rara.

Caravana

Nesta sexta-feira é feriado em Pérola, cidade de Enzo Gabriel. Por isso, a prefeitura disponibilizou um ônibus para levar os moradores até o Hemonúcleo de Umuarama para o cadastro no banco de medula óssea. Mais de 80 pessoas se prontificaram a ir, porém, a unidade de saúde divulgou que só poderá atender até 40.

Segundo Cícera Barbosa de Freitas, a família entrou em contato com o Hemonúcleo, que alegou questões financeiras, e também com a Secretaria de Saúde. “A gente foi até a prefeitura de Pérola, falar com secretária da saúde, para ver se ela conseguia falar com Curitiba para trazer mais pessoas para ajudar no cadastro, mas não deu certo”, contou.

“Nós queríamos que eles [Hemonúcleo] pudessem ajudar, pois quanto mais pessoas forem doar, mais chances o Enzo terá de ser salvo. Nós fizemos uma campanha para mobilizar essas pessoas e gostaríamos que fosse realizada”, afirmou.

Hemonúcleo

O diretor regional do Hemonúcleo de Umuarama, Claúdio Francisconi, declarou que não há capacidade física e de funcionários para atender todas as 80 pessoas em um mesmo dia. Ele se colocou à disposição da família para novas agendas para atender todo o público.

Segundo Francisconi, há ainda uma cota estabelecida pelo Instituto Nacional de Câncer de aproximadamente 40 por mês para o processamento dos materiais colhidos, porém, isso pode ser negociado.

Necessidade de frequência

O Banco de Medula Óssea tem bem menos doadores do que os bancos de sangue. O boom de doadores ocorre quando um paciente motiva o cadastro, como é o caso de Enzo Gabriel, mas os órgãos ressaltam a necessidade de frequência na procura.

O banco de medula é mundial, portanto, uma doação feita em Umuarama, por exemplo, pode ajudar a curar um paciente em outro país. Fica o convite para o cadastro como doador de medula. O Hemonúcleo de Umuarama funciona das 8h às 16h, na Avenida Manaus, 4.444.

Colaboração Nailena Faian