22°
Máx
16°
Min

Em vídeo, presos mostram refém e pedem fim de superlotação na delegacia de Cianorte

Os detentos que participaram da rebelião ocorrida na 21ª Subdivisão Policial de Cianorte chegaram a gravar um vídeo durante o motim, mostrando o carcereiro feito refém e também com reivindicações, especialmente pelo fim da superlotação. O local tem capacidade para 74 homens, mas abriga 160.

O chefe da carceragem, Emerson Luiz Guerreiro, contou que o motim começou na noite de quarta-feira (18). Os detentos simularam a necessidade de um encaminhamento ao hospital e aproveitaram para render o carcereiro de plantão.

Com o uso de uma arma de fogo, eles tentaram escapar, mas foram contidos por um policial civil e houve troca de tiros, em que um preso foi ferido na perna. O investigador conseguiu acionar a Polícia Militar e conter a fuga, o que motivou o início da rebelião.

Madrugada de tensão

A rebelião seguiu pela madrugada desta quinta-feira (19) e apenas na manhã, o refém foi liberado e a arma entregue. O agente carcerário passou por momentos de tensão. Os presos amarraram um colchão ao corpo dele e ameaçaram atear fogo. Apesar de abalado emocionalmente, o profissional não se feriu.

Após 10h de negociações, a rebelião teve fim e uma operação bate-grade foi deflagrada, especialmente porque havia a suspeita de uma segunda arma de fogo nas celas.

Foram encontrados nas celas estoques, facas improvisadas e dois celulares, mas a suposta segunda arma e o telefone usado para o vídeo dos presos não foram localizados.

O detento baleado recebeu socorro na Santa Casa, mas não precisou de cirurgia, recebeu alta rapidamente e retornou à delegacia. No motim, os presos pediram o fim da superlotação, com agilidade na análise dos processos e também melhorias na alimentação.

No início da tarde, a contagem foi encerrada e os presos levados de volta para as celas. As visitas estão suspensas por tempo indeterminado.