27°
Máx
13°
Min

Escola de RMC sofre com falta de funcionários e descaso

(Foto: Google Street View) - Escola de RMC sofre com falta de funcionários e descaso
(Foto: Google Street View)

Professores tendo que limpar a escola, e funcionários de outras áreas fazendo merenda para os alunos terem o que comer. Essa é a situação da Escola Municipal Ipê, em Almirante Tamandaré,  região metropolitana de Curitiba. A escola possui quase 400 crianças matriculadas, e sofre com a falta de funcionários.

A reportagem do Massa News foi procurada por pais de alunos, denunciando o descaso enfrentado na escola. De acordo com Dayane Amaral, mãe de dois estudantes, os banheiros estão sem limpeza, e durante muito tempo não havia merendeira. “A diretora e professores tiveram que cozinhar para os alunos, é um absurdo. A escola está um nojo”, conta. Segundo a mãe, nesta semana os alunos tiveram que levar o próprio lanche de casa, pois não tinha quem fizesse a comida.

Uma ex-funcionária da escola conta que as merendeiras que existiam no local saíram no dia 15 de fevereiro, e que desde então as coisas ficaram complicadas. “Foram contratadas duas merendeiras por uma empresa terceirizada, o que não podia, então elas foram embora. Aí ficou sem ninguém”, disse.

De acordo com as testemunhas, foram feitos ofícios pedindo a contratação desses funcionários. “Nós ficamos ligando quase todos os dias para que eles enviassem alguém, pois foi feito o concurso. O que eles dizem é que essas coisas demoram e que está difícil”, conta uma funcionária da escola que não quis ser identificada. Segundo ela, foram 15 dias sem merendeira no local, e na segunda-feira (20) pela manhã, os alunos tiveram que levar o próprio lanche. No período da tarde, uma nova responsável chegou para assumir o cargo, após muita insistência. “Mas é apenas uma, e ela faz tudo sozinha. São 400 crianças para alimentar, além de toda a louça que ela precisa lavar”, desabafa.

Já sobre o problema da limpeza, a funcionária conta que existem duas pessoas responsáveis. Uma está de atestado de 30 dias por não poder fazer esforço físico, e outra trabalha apenas de manhã, já que à tarde faz fisioterapia. “Contrataram pessoas que não tem condição de trabalhar. Os professores estão limpando as próprias salas, já os banheiros têm limpeza apenas no período da manhã”, explica. A funcionária contou à reportagem que um ofício foi enviado no dia 24 de maio, e até agora nada foi resolvido.

 A Prefeitura de Almirante Tamandaré confirmou que a escola ficou 15 dias sem merenda, mas afirmou que em nenhum dia as crianças ficaram sem alimentação. Sobre a questão da limpeza, a Prefeitura declarou que a situação será resolvida até sexta-feira (24), com a contratação de uma profissional que possa ficar o período integral.

Colaboração Louise Fiala