28°
Máx
17°
Min

Esquadrão antibombas é acionado por bagagem suspeita deixada na rodoferroviária de Curitiba

Antibombas é acionado por bagagem suspeita deixada na rodoferroviária

O esquadrão antibombas foi acionado na noite desta quarta-feira (22), para verificar uma bagagem deixada em frente à Rodoferroviária de Curitiba. A mala foi abandonada junto a uma das pilastras, próximo ao guarda volumes da rodoviária.

Uma área no entorno do local onde está a bagagem foi isolada pelo esquadrão. De acordo com relatos de testemunhas, uma pessoas teria colocado o conteúdo da bagagem em outra mala e deixado o objeto por lá.

A equipe do esquadrão utilizou a máquina de raio-x para tentar verificar se havia algum artefato explosivo dentro da bagagem. No entanto, a mala estava praticamente vazia. Dentro dela, os policiais encontraram apenas um pente de cabelo e um chaveiro.

De acordo com o soldado Carlesso, do esquadrão antibombas, o tamanho da área isolada tem relação com o risco que o tamanho da bagagem oferecia. "A gente faz uma análise prévia pelo tamanho do objeto e pela quantidade de explosivos que poderia estar lá dentro para definir a área de isolamento."

Ele afirmou que a suspeita é que uma pessoa teria comprado uma mala nova e abandonou a antiga no local. O soldado classificou a atitude como irresponsável. "Ingenuidade por um lado, mas por outro irresponsabilidade. Tivemos que deslocar uma equipe antibombas, alguns serviços aqui da rodoviária precisaram ser paralisados, mas felizmente não havia nada na mala."

Mesmo assim, ele ressaltou que em caso de objetos suspeitos, a população não precisa ter receio em acionar o esquadrão. "Suspeitou de qualquer objeto deixado em algum lugar, pode acionar a Polícia Militar. Até para tentar evitar que algo de ruim aconteça. Nossa missão é preservar a vida da população e também dos nossos policiais", afirmou.

A ação durou quase duas horas. Neste momento, o local já foi liberado e a mala foi entregue para o posto da Polícia Militar que fica na rodoferroviária de Curitiba.

Vídeo: Divulgação/Polícia Militar do Paraná