28°
Máx
17°
Min

Estado vai monitorar atropelamento de animais silvestres

(Foto: CEMA) - Estado vai monitorar atropelamento de animais silvestres
(Foto: CEMA)

A partir de agora, concessionárias e gestores de vias deverão diagnosticar, monitorar e mitigar os atropelamentos de animais silvestres nas estradas, rodovias e ferrovias do Paraná. A obrigatoriedade foi aprovada nesta terça-feira (13) pelo Conselho Estadual de Meio Ambiente. Depois de publicada no Diário Oficial da União, a resolução terá caráter normativo e deverá ser seguida pelos empreendedores do Estado.

A proposta do tema foi encaminhada pelo Conselho Regional de Biologia. A medida estabelece também que para obter a Licença Ambiental no Instituto Ambiental do Paraná (IAP), o empreendedor deverá elaborar um diagnóstico de atropelamento de animais silvestres, identificando as espécies e os trechos onde mais ocorrem os acidentes.

APLICATIVO

A Universidade Federal de Lavras, em Minas Gerais, estima que cerca de 475 milhões de animais morrem, por ano, atropelados nas rodovias do brasil. No Paraná, entre 2014 e 2016, foram registrados 542 atropelamentos de animais silvestres em estradas e rodovias.

Para reduzir esses números, pesquisadores de Minas Gerais desenvolveram um aplicativo para celular para controlar as áreas mais críticas de atropelamento, além de incentivar a formulação de políticas públicas para as estradas.

Chamado de Urubu Mobile, o aplicativo permite aos motoristas registrarem o acidente para ajudar a estruturar o Banco de Dados Brasileiro de Atropelamento de Fauna Selvagem (Bafs) e enviar as informações para o Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia em Estradas (CBEE) com o objetivo de identificar as áreas onde ocorrem mais atropelamentos de fauna em todo Brasil.

 Para isso, basta tirar uma foto do animal atropelado por meio do aplicativo. A localização geográfica é obtida por GPS e data e hora são identificadas automaticamente pelo Urubu Mobile.