21°
Máx
17°
Min

Ex-vereador é acionado por pressionar venda de terreno à construtora Iguaçu do Brasil em Londrina

(foto: Devanir Parra/CML) - Ex-vereador é acionado  por pressionar venda de terreno à construtora
(foto: Devanir Parra/CML)

A Promotoria de Justiça de Proteção ao Patrimônio Público de Londrina ajuizou ação civil pública contra o ex-vereador Gerson Araújo (PSDB), acusado de pressionar o proprietário de um terreno para vende-lo à construtora Iguaçu do Brasil.

Além dele, foram acionados um ex-assessor de gabinete, a construtora e seu proprietário. Segundo as investigações do Ministério Público, em 2012, o dono do terreno recebeu telefonemas do assessor do vereador afirmando que a área seria desapropriada porque o município teria intenção de construir uma Vila Olímpica no local. Na época, Gérson ocupava o cargo de prefeito interino, por ser presidente da Câmara de Vereadores durante a cassação do então prefeito Barbosa Neto e a renúncia do vice, José Joaquim Ribeiro.

 Ainda de acordo com o MP, o vereador e o assessor chegaram a simular um requerimento de projeto de lei em papel timbrado da Câmara Municipal de Londrina para desapropriação dos lotes. O documento com informações falsas não seria apresentado no Legislativo, sendo usado apenas para ocultar a pressão feita anteriormente para a venda do terreno.

A ação requer suspensão dos direitos políticos, perda da função pública, pagamento de multa e proibição de contratar com o poder público. Araújo e o assessor já respondem a uma ação penal sobre o mesmo caso. Em julho de 2015, ele perdeu o mandato de vereador no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) porque não poderia ter sido candidato nas eleições de 2012 por assumir o cargo de prefeito antes do pleito.

Já a Construtora Iguaçu do Brasil é denunciada pelo Ministério Público por lesar mais de 200 consumidores e não entregar casas e terrenos, em um golpe de estelionato estimado em R$ 45 milhões.