22°
Máx
16°
Min

Exército é chamado para combater o Aedes Aegypti em Paranaguá

(Foto: Divulgação/Paranaguá) - Exército é chamado para combater o Aedes Aegypti em Paranaguá
(Foto: Divulgação/Paranaguá)

Trezentos homens do Exército Brasileiro vão travar uma batalha, entre hoje (30) e quinta-feira (2), contra o mosquito Aedes Aegypti, em Paranaguá. A cidade vive em situação epidêmica de dengue desde o fim do ano passado, e até o momento, as ações que já foram desenvolvidas não apresentaram resultados efetivos, tanto que os números comprovam a quantidade elevada de casos de dengue, inclusive com mortes. Nesta manhã, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) registrou um protesto da associação de moradores que reivindicava “limpeza nas imediações da Prefeitura”. A polícia revelou que “Cerca de 50 pessoas bloquearam a BR-277, na altura do quilômetro 2, para pedir a limpeza”.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de Comunicação do Município, para verificar quantos casos de dengue, febre chikungunya e zika vírus, todas doenças transmitidas pelo mesmo mosquito. A assessoria afirmou que “os números oficiais são os do boletim do governo do Estado, divulgado as terças-feiras”.

O Boletim, com dados referentes até a última semana, aponta que na área da 1ª Regional de Saúde de Paranaguá, já foram registrados desde agosto de 2015 (início da semana epidemiológica de monitoramento), 15.427 casos autóctones de dengue e outros 723 importados, totalizando 16.150 casos. Outros 21.882 foram notificados e 28 pessoas morreram.

Os números de Paranaguá, de acordo com o boletim estadual, revelam que a cidade de Paranaguá, detém a maioria dos casos, sendo 15.258 casos autóctones de dengue e 234 importados, que totalizam 15.492 pessoas acometidas pela doença na cidade. Também restrito a Paranaguá, foram notificados 19.369 casos e o mais grave de tudo isso, 27 pessoas morreram em decorrência da dengue.

Já em relação a febre chikungunya, em Paranaguá, já foram registrados 5 casos importados e efetuadas 30 notificações. Do zika vírus são 9 casos autóctones e 60 notificações.