20°
Máx
14°
Min

Família acusa Hospital Evangélico de negligência médica

Uma família de Ponta Grossa está revoltada com o atendimento médico no Hospital Evangélico. A pequena Isadora, filha de Eliete de Fátima Rodrigues, morreu antes mesmo de vir ao mundo. Tudo porque, segundo a denúncia da família, os médicos que estavam de plantão se recusaram a fazer a cesariana. A mulher estava grávida de 39 semanas e estava internada no hospital desde segunda-feira (16).

Ela já havia procurado o hospital no sábado (14) por conta de um desconforto, mas os médicos mandaram ela embora. Na segunda-feira, com sangramento, ela voltou a procurar atendimento. De acordo com o vereador Pietro Arnaud, que fez a denúncia, o médico que fez o exame afirmou que ela precisaria de uma cesariana. Ontem (18), um exame de cardiotocografia apontou a necessidade urgente do parto para salvar a vida da criança. A morte da criança foi constatada na manhã desta quinta.

A direção do Hospital Evangélico confirmou que os dois médicos responsáveis pelo caso foram afastados e a direção vai apurar as responsabilidades. “Hoje mesmo vou dar conhecimento dessa situação ao Ministério Público, à 13ª Subdivisão Policial e à 3ª Regional de Saúde”, garante Pietro.

Colaboração de Marrara Laurindo, da Rede Massa.