22°
Máx
17°
Min

Farol baixo diminui em 46% mortes em colisões frontais e atropelamentos no Paraná

(Foto: Divulgação PRF) - Farol baixo reduz em 46% mortes em colisões frontais e atropelamentos
(Foto: Divulgação PRF)

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) divulgou, nesta sexta-feira (12), que o primeiro mês de obrigatoriedade do uso de farol baixo durante o dia nas rodovias resultou em uma redução de 46% na quantidade de mortes em colisões frontais e atropelamentos no Paraná. Neste período, 13 mil motoristas foram autuados, em uma média de 400 flagrantes por dia.

Segundo a PRF, o número de mortes por atropelamento durante o dia caiu pela metade em relação ao mesmo período do ano passado - de quatro para dois, entre julho e agosto. O total de mortes em colisões frontais nos trechos de pista simples durante o dia passou de nove para cinco, uma queda de 44,4%. A soma entre estes dois tipos de ocorrência faz com que se chegue na redução de 46% no número mortes nas rodovias federais paranaenses desde que a lei entrou em vigor.

Dirigir sem o farol baixo durante o dia nos trechos de rodovia rende infração média, com quatro pontos na carteira de habilitação e uma multa de R$ 85. Esse valor passará para R$ 130 em novembro, quando todas as multas de trânsito serão reajustadas, o que não acontecia desde 2002.

País

Em todo o país, a PRF flagrou 124,2 mil motoristas desrespeitando a lei do farol baixo no primeiro mês de sua vigência. As mortes em colisões frontais nos trechos de pista simples das rodovias federais brasileiras caíram 56% no período, de 88 para 39. Em atropelamentos, as mortes caíram de 16 para 10 no país.

De acordo com a PRF, com o farol baixo ligado, é mais fácil aos demais condutores, pedestres ou ciclistas visualizarem um veículo. A tendência é que essa mudança reduza casos de acidentes provocados por desatenção, distração ou erro de avaliação.

Colaboração PRF