24°
Máx
17°
Min

Florada de cerejeiras abastece produção da espécie em Curitiba

Florada de cerejeiras abastece produção da espécie em Curitiba

Primeiro elas chegaram nas praças da cidade, em 1994. A partir de 2000, também foram introduzidas na arborização das ruas de Curitiba. As cerejeiras das espécies Prunnus Campanulata e Prunnus Serrulata encantam moradores e turistas que visitam a capital nesta época do ano.

 No mês de setembro, após a floração, inicia-se o processo de frutificação. É quando técnicos do Horto Municipal da Barreirinha fazem a coleta dos frutos que darão origem às novas mudas. “As sementes precisam ser beneficiadas. São retiradas a casca e a polpa, ficando apenas a semente. A germinação ocorre em aproximadamente quatro meses. Por quatro anos, a muda permanece em desenvolvimento no horto e quando chega a 1,80m, podemos fazer o plantio nos parques e passeios”, explica o técnico Roberto Salgueiro.

 A colheita precisa ser feita na época certa para ter umidade interna suficiente para germinar. Para ter sucesso na germinação, é preciso retirar toda a polpa. “A multiplicação por sementes é muito boa. Hoje nossa germinação está em torno de 80%”, diz.

As cerejeiras que embelezam Curitiba têm as mesmas características das árvores japonesas. “Gostam de clima frio, atingem altura média em torno dos 12 metros, com flores de pouca duração. As mudas precisarão de, no mínimo, cinco anos para dar flores pela primeira vez”, conta a diretora de produção vegetal da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Érica Mielke.

Produção 

É do Horto da Barreirinha que saem as cerca de 12 mil novas árvores plantadas anualmente somente nas ruas de Curitiba – cerca de mil por mês. A produção do horto também garante o plantio em praças, parques e às margens de rios (mata ciliar).

Instalado em uma área de uso restrito de 125 mil metros quadrados, ao fundo do Parque da Barreirinha, o Horto possui estoque de aproximadamente 110 mil mudas, das quais cerca de 30 mil já estão prontas para o plantio. No local são produzidas as mudas de árvores de espécies nativas e algumas espécies arbustivas.

Curitiba tem hoje cerca de 300 mil árvores plantadas somente nas vias públicas. Érica lembra que as espécies destinadas à arborização demandam maior tempo de permanência em viveiro e têm maior custo de produção. 

Os dois hortos municipais atendem exclusivamente aos projetos de paisagismo da cidade. A unidade do Guabirotuba produz flores. No Horto da Barreirinha, trabalham 13 servidores. Fundado em 1959, a unidade produz anualmente 50 mil mudas utilizadas na arborização de ruas, parques e praças da cidade. São mais de 150 espécies, 70% nativas.