21°
Máx
17°
Min

Força-tarefa é montada para investigar execução de agente penitenciário em Cascavel

Forças de segurança veem crime como atentado ao Estado (Foto: Divulgação) - Força-tarefa é montada para apurar execução de agente penitenciário
Forças de segurança veem crime como atentado ao Estado (Foto: Divulgação)

Uma força-tarefa foi montada para investigar a morte do agente penitenciário Alex Belarmino, 36 anos, executado a tiros na manhã de sexta-feira (2), próximo ao Lago Municipal, em Cascavel. Vão compor o grupo as polícias Civil, Militar, Federal, Rodoviária Federal e também agentes penitenciários federais.

As forças de segurança estiveram reunidas na tarde de sexta-feira, na 15ª Subdivisão Policial de Cascavel, onde planejaram ações conjuntas de investigação. Em nota divulgada pela força-tarefa, os órgãos argumentam que o atentado não foi apenas contra a vida do agente, mas contra o Estado.

“O crime, de grande repercussão, atenta contra a ordem pública e instituições de segurança.” Oficialmente, a investigação está sob a responsabilidade da Polícia Federal, que contará com as demais forças como apoio.

“Entretanto, devemos e queremos, por ofício de profissão e por estarmos irmanados com nossos colegas agentes penitenciários federais, prestar não só nossa solidariedade, mas demonstrar nosso empenho na solução deste crime, que cremos, seja também o pensamento dos colegas de outros órgãos de segurança, por isso, nossas forças colocada à serviço desta força-tarefa."

O crime

Alex Belarmino dirigia sentido à Penitenciária Federal de Catanduvas e exercia a função de agente há dez anos. Ao passar por uma lombada, recebeu os tiros dos criminosos, perdeu o controle e ainda bateu contra uma caminhonete.

O servidor deixou a esposa e duas filhas, uma de nove e outra de seis anos.