22°
Máx
16°
Min

Funcionária de boate morre após levar chute na cabeça em assalto

Adolescente foi apreendido suspeito de participação no crime, mas nega envolvimento (Foto: Divulgação / Rede Massa) - Funcionária de boate morre após levar chute na cabeça em assalto
Adolescente foi apreendido suspeito de participação no crime, mas nega envolvimento (Foto: Divulgação / Rede Massa)

Uma jovem de 21 anos morreu depois de levar um chute na cabeça durante assalto a uma casa noturna localizada na Avenida Presidente Kennedy, trecho urbano da BR-376, em Ponta Grossa. Jaqueline Ferreira era funcionária da boate e foi agredida por um dos assaltantes, que atacaram o estabelecimento na madrugada de domingo. Equipes de primeiros socorros foram acionadas, mas a jovem não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local.

Segundo informações da Polícia Militar, três homens armados invadiram a boate, anunciaram o crime e renderam clientes e funcionários. Durante o assalto, eles perceberam que Jaqueline estava falando ao celular, pensaram que ela ligava para a polícia e um deles deu um chute na cabeça da jovem. Ela caiu e bateu a cabeça no chão, desmaiando na hora. Os criminosos conseguiram fugir e o Corpo de Bombeiros e o Samu foram acionados, assim como a Polícia Militar.

Os socorristas tentaram reanimar a jovem, mas ela não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local. O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Ponta Grossa.

Ainda de acordo com a PM, antes do assalto à boate, outra casa noturna foi alvo do mesmo grupo de bandidos. No primeiro caso, o alvo foi um estabelecimento localizado na Avenida Souza Naves, trecho urbano da BR-373. A forma de agir dos ladrões foi a mesma e, na fuga, eles roubaram o Palio de um dos clientes. O veículo foi encontrado pelos policiais na região do bairro Dalabona após o segundo assalto.

Depois de uma perseguição, o motorista perdeu o controle da direção e bateu a roda no meio fio na área central da cidade, perto da Igreja São José. O pneu furou e os três bandidos decidiram fugir à pé. Os policiais conseguiram pegar um dos ocupantes, um adolescente, e encaminharam o rapaz até a 13ª Subdivisão Policial. Ele nega participação nos dois crimes, mas foi reconhecido pelas testemunhas dos dois casos. O caso agora é investigado pela Polícia Civil, que trabalha para identificar os outros dois suspeitos do crime.