22°
Máx
17°
Min

Funcionários da Cavo não recebem salários e paralisam as atividades

Sem salários, trabalhadores da Cavo paralisam atividades

Mais de mil trabalhadores da coleta de lixo de Curitiba cruzaram os braços na manhã de hoje (7). De acordo com o Sindicato dos Empregados em Empresas de Asseio e Conservação (Siemaco), a decisão foi tomada por conta do não recebimento dos salários dos trabalhadores. “Ontem (6) foi o quinto dia útil, a empresa havia se comprometido a depositar os pagamentos até a meia-noite, mas até agora nada”, relatou a assessoria de imprensa.

Ao todo, segundo a assessoria, 100 caminhões seguem parados e a volta ao trabalho dos funcionários, está condicionada ao pagamento dos salários. “É um momento de protesto”.

Não estão funcionando os trabalhos de coleta domiciliar, coleta de recicláveis, calina, roçada e limpeza especial. A assessoria ainda reafirmou que hoje, até o momento, a empresa não se posicionou sobre a situação.

A reportagem tentou contato com a empresa Cavo e com a Prefeitura, mas não obteve retorno.

Recentemente, já foi publicado aqui no Massa News, que os trabalhadores responsáveis pela limpeza da cidade estavam descontentes com a gestão de Gustavo Fruet. Além do descaso com a categoria, que teve as equipes de trabalho reduzidas, os garis reclamam das incertezas no futuro, especialmente com a licitação para o novo contrato da gestão do lixo em Curitiba.

“Nenhum trabalhador foi consultado, nem o sindicato. O município, em nenhum momento, se manifestou para que as empresas mantenham nossos direitos. A prefeitura simplesmente esqueceu os trabalhadores e não garante que nossos direitos sejam respeitados nessa licitação”, critica o presidente do Sindicato Empregados em Empresas de Asseio e Conservação de Curitiba (Siemaco), Manassés Oliveira.

Ele destaca ainda que os 2,5 mil trabalhadores da limpeza pública da capital foram esquecidos pelo prefeito. “Eles não foram respeitados nem valorizados. São esses trabalhadores que conhecem todas as ruas, rios, parques e praças da cidade. Eles têm papel fundamental e poderiam ter contribuído ainda mais nesse processo, mas não foi dada a oportunidade”, lamenta.