21°
Máx
17°
Min

Funcionários da UFPR e HC decidem pelo estado de greve

Nova paralisação está marcada para 1º de março (Foto: Divulgação/Sinditest) - Funcionários da UFPR e HC decidem pelo estado de greve
Nova paralisação está marcada para 1º de março (Foto: Divulgação/Sinditest)

O impasse entre os trabalhadores técnicos da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e Hospital de Clínicas (HC) com a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) continua e pelo que tudo indica, está longe do fim. Após um dia de paralisação das atividades, realizado na quarta-feira (24), e assembleias da categoria, a decisão foi pela manutenção do estado de greve e por uma nova paralisação no dia 1º de março.

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação das Instituições Federais de Ensino Superior no Estado do Paraná (Sinditest), a mobilização é pela suspensão do ponto eletrônico e pela implantação das 30 horas.  O sindicato também relata “total falta de condição de trabalho no HC”. Em nota, o Sinditest afirma que falta material básico de trabalho. “Hoje nosso hospital está em via de falência, estamos com o centro cirúrgico fechado, falta anestésico, falta dipirona, falta luva, o banco de sangue está fechado, o Hemepar está prestando serviço para o hospital, fechou a lavandeira e agora ela está terceirizada”, relata a nota.

Já a assessoria do Complexo HC da UFPR entendeu a paralisação de quarta-feira como “uma mobilização nacional que não teria contrariedade a Ebserh”. A assessoria admitiu que houve desabastecimento de alguns produtos, mas afirmou que a motivação seria o aumento na quantidade de atendimentos e que a previsão da direção, que deve ser mantida é de reabastecimento total no mês de março. “O repasse será de R$ 5 milhões oriundos da Ebserh, na primeira quinzena de março”, divulgou em nota.

Outra medida que devem entrar em vigor nos próximos dias, conforme a assessoria, é a contratação de 80 funcionários entre técnicos-administrativos e equipe de enfermagem.

Colaboração Sinditest e Assessoria UFPR