28°
Máx
17°
Min

Funcionários reclamam de constantes assaltos em unidades dos Correios

(Foto: Agência Brasil) - Funcionários reclamam de constantes assaltos em unidades dos Correios
(Foto: Agência Brasil)

Apenas nos três primeiros meses de 2016, 35 assaltos foram registrados em unidades dos Correios no Paraná. A informação foi repassada pelo Sindicato dos Trabalhadores nos Correios do Paraná. O último assalto foi registrado nesta terça-feira (29), na agência de Antonina, litoral do estado.

Segundo o Sindicato, dois homens invadiram o local e anunciaram o assalto. Os criminosos foram bastante violentos e chegaram a amarrar os trabalhadores dentro do banheiro da agência. De acordo com informações do Sintcom, os homens não tiveram sucesso na tentativa de realizar o assalto e fugiram sem levar nada.

No entanto, para o sindicato, o problema maior foi o suposto descaso com os funcionários. “A empresa não auxiliou os funcionários no deslocamento para Paranaguá, onde teriam acompanhamento médico e psicológico.” De acordo com o Sintcom, o maior prejuízo é o receio dos trabalhadores. “Eles têm medo diário de trabalhar, por causa dos traumas, da violência que estão expostos”, afirmou, em nota.

Ao todo, de acordo com o levantamento do sindicato, 35 assaltos foram registrados entre janeiro e março deste ano. O número equivale a um assalto a cada dois dias e meio. Os crimes foram registrados nas unidades de Antonina, Tapira, Santa Mariana, Mandaguaçu, Paiçandu, Alto Paraná, Irati, Curitiba (AC Portão, CDD Bacacheri, CEE Leste, AC Mercês, AC Bigorrilho, CDD Centro Cívico), Rio Branco do Sul, São João do Ivaí, Cascavel, Luiziana, Astorga, Marumbi, Mandirituba, Piên, Rio Bom, Peabiru, Godoy Moreira, Cambira, Rio Negro, Santa Lúcia, Jardim Brasília, Nova Olímpia, Tapejara. As agências de Bom Sucesso e São Pedro do Ivaí já foram assaltadas duas vezes desde janeiro.

O número de assaltos, segundo o sindicato, aumentou 790% desde 2008, quando foram registrados apenas dez assaltos. Em 2015, 89 assaltos foram registrados em unidades dos Correios. Contando com os assaltos a carteiros durante o trajeto, o número salta para 102. Os dados se baseiam nos documentos de Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT) dos funcionários dos Correios paranaenses.

Em 2015, os trabalhadores registraram 902 CAT. Destas, 158 foram motivadas por mordidas canina (17,5%), 323 por assaltos (35,8%) e 421 (46,6%) por outros motivos como acidentes de trânsito ou laboratoriais. Ou seja, de acordo com os números do sindicato, hoje é mais fácil um carteiro ser assaltado do que mordido por um cachorro.

Por conta dessa situação, o sindicato resolveu marcar uma paralisação para o próximo dia 27 de abril, quando todos os trabalhadores devem parar as atividades para pedir mais segurança. A reportagem não conseguiu contato com os Correios, mas mantem o espaço aberto para a empresa se posicione a respeito do tema.