28°
Máx
17°
Min

Gaeco denuncia 778 pessoas por atuação em organização criminosa que agia em presídios

Operação foi realizada em dezembro (Foto: Arquivo/Sesp) - Gaeco denuncia 778 pessoas da Operação Alexandria
Operação foi realizada em dezembro (Foto: Arquivo/Sesp)

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná, apresentou 31 denúncias criminais contra 778 pessoas apontadas como integrantes de organização criminosa que atuava em presídios do Paraná. Desmembradas para permitir uma tramitação processual mais adequada, as denúncias, ofertadas entre 23 de dezembro de 2015 e 12 de fevereiro de 2016, foram ajuizadas junto à 8ª Vara Criminal de Curitiba.

De acordo com as denúncias, 27 pessoas foram identificadas como pertencentes à cúpula da organização, dentre elas dois advogados. Todos os denunciados tiveram a prisão preventiva decretada em face de recurso promovido pelo MP-PR junto ao Tribunal de Justiça do Paraná. Muitas das prisões se referiam a pessoas já incluídas no sistema penal.

O recebimento das denúncias e início dos processos vai se refletir na condição prisional dos denunciados (em casos de pedido de progressão de regime, por exemplo). A investigação sobre o caso foi conduzida pelo Centro de Operações Especiais (Cope) da Polícia Civil e durou cerca de um ano.

Relembre

A Operação Alexandria foi desencadeada em 17 de dezembro de 2015 e contou com mais de 1,5 mil policiais entre Civis e Militares. Foram cumpridos 577 mandados de prisão preventiva contra membros da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PPC). Do total, 484 pessoas já estavam detidas. Foram expedidos ainda 767 mandados de prisão preventiva, quatro de busca e apreensão em Curitiba e região, além de outras 72 cidades do interior do estado.

Colaboração Gaeco