22°
Máx
16°
Min

Gaveta cheia de dinheiro em Câmara Municipal é alvo de investigação

Uma imagem de uma gaveta da Câmara Municipal cheia de dinheiro que circulou nas redes sociais trouxe o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) de volta a Marechal Cândido Rondon na manhã de quarta-feira (22).

Desta vez foram cumpridos mandados de busca e apreensão na Câmara Municipal e na casa de um funcionário da casa de leis. Segundo o promotor Sidiklei Rosolen, que conduziu a operação, o objetivo é apurar eventual ato ilícito e saber de onde veio o dinheiro que aparece nas imagens.

Ainda segundo o promotor, um vídeo foi postado por um funcionário da Câmara, mostrando a gaveta cheia de dinheiro. As imagens chamaram a atenção e foram parar anonimamente nas mãos do Ministério Público, que estranhou a presença de tamanho volume de dinheiro em espécie quando atualmente as operações financeiras do Poder Público geralmente são feitas via on line, sem o envolvimento de valores em espécie.

Ao final da manhã de ontem a Câmara Municipal de Marechal Cândido Rondon emitiu uma nota de esclarecimento. Segundo a nota, a presidência do Poder Legislativo já autorizou a abertura de uma sindicância para apurar o ocorrido, visando colaborar com o Gaeco e o Ministério Público, observando que a Câmara não compactua com qualquer atitude de agente público que denigra a imagem deste Poder. 

Por outro lado, a nota diz que o servidor envolvido disse que o dinheiro era de um empréstimo bancário e que o vídeo foi gravado com brincadeira e distribuído num grupo de amigos no aplicativo Whatsapp. O Poder Legislativo informou ainda que não movimenta dinheiro em espécie e que todas as suas transações financeiras acontecer via on line.

Confira a nota na íntegra:

"O Poder Legislativo de Marechal Cândido Rondon, a respeito de operação do Gaeco realizada na manhã desta quarta-feira (22) na Câmara de Vereadores e em residência de servidor desta Casa de Leis, esclarece que: 

- A operação foi para averiguar vídeo gravado na Câmara pelo servidor em que mostra na sua gaveta determinada quantia de dinheiro; 

- Que o servidor informou que a origem do dinheiro era de empréstimo bancário e que o vídeo havia sido gravado em forma de brincadeira e compartilhado em grupo de amigos no Whatsapp; 

- A Câmara e o servidor auxiliaram o Gaeco no cumprimento do mandato, garantindo acesso a todos os documentos solicitados;

- Em colaboração com o Gaeco e Ministério Público, a presidência do Poder Legislativo já autorizou abertura de sindicância para apurar o ocorrido;

- A Câmara não compactua com qualquer atitude de agente público que denigra a imagem deste Poder; 

- Diante disso, a Câmara reforça que todas as medidas cabíveis já estão sendo tomadas para apurar o caso e esclarecer a verdade sobre os fatos. 

- O Poder Legislativo informa que não movimenta dinheiro em espécie, sendo que todas as suas transações financeiras se dão por sistema on-line. Ainda conta com ampla estrutura administrativa para assegurar a transparência e o correto uso do dinheiro público."

Colaboração: Aqui Agora.Net