28°
Máx
17°
Min

Governo afirma que não tem pendências em relação à pauta nacional dos professores

(Foto: Divulgação/AEN) - Governo afirma que não tem pendências em relação à pauta nacional dos professores
(Foto: Divulgação/AEN)

A secretária de Estado da Educação, professora Ana Seres, afirmou nesta quinta-feira (17), em Curitiba, que o Governo do Paraná atende as reivindicações dos professores da rede pública de ensino. Além disso, ela ressaltou que o Estado não tem pendências em relação à pauta nacional da categoria. No Palácio Iguaçu, em Curitiba, Ana Seres recebeu os representantes do sindicato dos professores, que participaram de um movimento nacional dos trabalhadores da educação.

“A pauta é de um movimento nacional e o Paraná não se encaixa em nenhuma das reivindicações”, afirmou a secretária. Por exemplo, a entrega de escolas à organizações sociais não ocorre no Paraná. O Paraná também não parcelou o pagamento de salários, como foi feito em outros estados. “Outro item da pauta nacional é a militarização de escolas, o que, igualmente, não acontece no Paraná”, completou.

Piso Salarial

Em relação ao piso nacional, Ana Seres lembrou que um professor em início de carreira no magistério do Paraná recebe, atualmente, remuneração mensal de R$ 3,6 mil (para jornada de 40 horas por semana), para o nível I da carreira, licenciatura plena. São R$ 2,8 mil de salário, mais R$ 800 de auxílio-transporte, o que totaliza a remuneração de R$ 3,6 mil.

Já o piso nacional dos professores, anunciado pelo governo federal, é de R$ 2,1 mil para 40 horas semanais. Esse valor já incorpora um incremento de 11%, pois antes era de R$ 1,9 mil. No Paraná, a remuneração aumentou em relação ao ano passado, também em virtude do reajuste concedido em janeiro, de 10,67%.

Novos concursos

Na reunião, a secretária confirmou a abertura dos protocolos para realização de novos concursos públicos na área da educação, uma das principais demandas do sindicato, e reiterou que já foram solicitados estudos para escalonamento dos pagamentos de progressões e promoções. "Estamos empenhados em resolver essa questão”, disse ela.

Já estão disponíveis em conta, nesta quarta-feira (16), os salários dos quatro mil professores contratados pelo Processo Seletivo Simplificado (PSS) para as reposições de conteúdo referente ao ano letivo de 2015, realizadas ao longo do mês de fevereiro.

Ao final da reunião, foi definido que a categoria será recebida, na próxima semana, pelo novo chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni, que assume o cargo no dia 21, para dar continuidade ao diálogo.

Reposição das aulas será decidida junto com os Núcleos Regionais

Durante a reunião com os representantes do sindicato dos professores, a secretária da Educação, professora Ana Seres, disse que a decisão sobre a forma de reposição aos estudantes, devido ao dia parado pela mobilização nacional, será decidida após reunião com os 32 chefes de Núcleos Regionais da Educação. Eles estarão em Curitiba nas próximas segunda e terça-feira (21 e 22).

A orientação da Secretaria da Educação é que haja reposição do dia ou do conteúdo para que os estudantes não sejam prejudicados. Os detalhes serão definidos em conjunto entre a equipe técnica da Secretaria e as chefias de núcleos. Conforme o levantamento da Secretaria, 32% das 2,1 mil escolas do Estado aderiram à paralisação.