23°
Máx
12°
Min

Greve deixa atendimentos suspensos no HC

(Foto: Sinditest) - Greve deixa atendimentos suspensos no HC
(Foto: Sinditest)

A greve dos trabalhadores do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná (UFPR) prejudicou o atendimento e o agendamento de consultas dos usuários. De acordo com a instituição, apenas os pacientes de fora de Curitiba foram atendidos nesta segunda-feira (6), primeiro dia de paralisação.

A Central de Agendamento ficou fechada durante toda a manhã de hoje e, em nota publicada em seu site, o HC informou que apenas os pacientes de fora de Curitiba conseguiram agendar consultas e exames. Também foram realizadas apenas as consultas eletivas dos usuários que vieram de outras cidades, por um plano de contingência.

O Hospital alertou ainda que, caso a adesão dos trabalhadores da Unidade de Processamento de Materiais continue até o fim da tarde, o centro cirúrgico vai realizar apenas cirurgias de emergência. Além disso, o atendimento no banco de sangue está suspenso e há demora na realização dos exames.

A orientação aos pacientes com a primeira consulta agendada pela unidade de saúde é que se dirijam ao HC após o fim da greve. Os usuários que já são atendidos pelo hospital devem aguardar contato telefônico com informação sobre as novas datas de consulta.

Negociação

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Terceiro Grau Público de Curitiba (Sinditest) estima que 80% dos funcionários aderiram à greve, que não tem data para acabar. Amanhã deve ser realizada uma assembleia, mas a negociação ainda não teve avanços.

“Nossa expectativa é que a negociação vá para a Justiça do Trabalho, que ela determine que direção iremos tomar”, afirmou o coordenador geral do Sinditest, José Carlos de Assis. A categoria pede reajuste salarial de 20%, mas Assis afirmou que, em conversa informal com a diretoria do hospital, foi informado que a entidade não tem recursos para oferecer este reajuste.

Em nota, o HC afirmou ainda que “já é de notório conhecimento, está enfrentando uma grave crise financeira que tem afetado o abastecimento de insumos do Hospital de Clínicas. Sendo assim, neste momento, não possui condições financeiras de atender à proposta de aumento solicitada pelo SINDITEST”, diz o texto.

O hospital informou ainda que “historicamente, em respeito à categoria, sempre lutou, juntamente com a reitoria da UFPR, e obteve a garantia do emprego dos trabalhadores CHC/Funpar. Além disso, nos últimos anos, foram firmados os melhores acordos coletivos para os trabalhadores, com a reposição dos seus salários pelo INPC, que abrangeu também o vale-alimentação, o auxílio-creche e o adicional de insalubridade.”