27°
Máx
13°
Min

Greve dos servidores da Receita Federal gera fila de caminhões na fronteira

Greve dos servidores da Receita Federal gera fila de caminhões

A fila de caminhões ficou extensa em pouco minutos, na Avenida Paraná. Ela é o reflexo da paralização dos servidores da Receita Federal. Eles decidiram fechar os portões do Porto Seco de Foz do Iguaçu.

Uma equipe da Guarda Municipal foi chamada para controlar o trânsito. A paralização faz parte da mobilização nacional dos servidores da RF. Segundo o sindicato a previsão é de parar os trabalhos duas vezes na semana, terças e quintas.

O ato é em resposta ao atraso do Governo no envio ao projeto de lei ao congresso, que permitirá o reajuste salarial dos servidores. No final da noite os portões do Porto Seco foram abertos por alguns minutos, mas apenas 40 caminhões conseguiram entrar.

Esclarecimentos

Em nota, a Receita Federal, de Foz do Iguaçu, explicou sobre as cargas liberadas ontem. Veja na íntegra:

Ontem foram liberados 575 caminhões, que correspondem às cargas perigosas, perecíveis e canal verde (cargas com baixo risco de irregularidades que são liberadas automaticamente pelo sistema).

Em um dia normal seriam liberados de 750 a 800 caminhões. No momento há 530 caminhões aguardando para entrar no Porto: 80 provenientes da Argentina, 40 provenientes do Paraguai e 410 de exportação.

Uma informação importante:

Ao contrário do que tem sido divulgado, o Porto Seco de Foz do Iguaçu é o maior do Brasil, sendo considerado também o maior da América Latina há 4 anos, segundo dados da ABTI (Associação Brasileira de Transportadores Internacionais).

Sindicato

Já o sindicato, afirmou que apenas o presidente Alfonso Burg, pode se manifestar, mas ele está em um curso nesta manhã.

Colaboração: Volnei Bones e Juliano Jaques / Rede Massa