21°
Máx
17°
Min

Grupo atraiu vítima para execução em milharal, diz polícia

Foto: DH - Grupo atraiu vítima para execução em milharal, diz polícia
Foto: DH

A Delegacia de Homicídios de Cascavel já esclareceu a morte de um jovem paraguaio, encontrado morto em um milharal, perto da BR-467, na quinta-feira (02). Segundo a investigação, Deibini Michell Gonzallez, foi atraído por amigos, para um suposto assalto, mas acabou executado na plantação de milho.

Quatro envolvidos na morte foram presos pela Polícia Civil. Eles afirmaram que estavam sendo ameaçados pelo paraguaio e por isso decidiram planejar a execução dele. Deibini foi atingido pelos tiros na cabeça, dentro do carro de um dos autores e em seguida foi desovado na plantação.

Os preso foram identificados como: Eduardo Santos Vieira Dias, 25 anos; Edson Danha Enke, 24, já com passagem por porte ilegal de arma de fogo; Luiz Henrique Gohlke, 20 anos  e Diego Ferreira de Freita, 23, já com passagem por tentativa de roubo agravado.

Segundo os depoimentos colhidos pela polícia, Edson foi o responsável por atirar contra a cabeça da vítima. O carro usado para por eles, assim como a arma, pertenciam a Eduardo.

Após a morte, Diego roubou o dinheiro da vítima e dividiu com Luiz. Edson roubou a pistola do paraguaio. Os detidos foram autuados por homicídio qualificado, receptação e furto.

Além dos quatro amigos, uma quinta pessoa que guardava as armas do grupo, foi presa por posse irregular. Os detidos foram levados à Delegacia de Polícia Civil.