27°
Máx
13°
Min

Homem fica em estado grave após acidente com linha com cerol

No Paraná, existe uma Lei que proíbe a fabricação e a comercialização do produto (Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros) - Homem fica em estado grave após acidente com linha  com cerol
No Paraná, existe uma Lei que proíbe a fabricação e a comercialização do produto (Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)

Socorristas do Siate foram acionado no fim da tarde de quinta-feira para atender uma vítima ferida em mais um acidente com linha de pipa com cerol. Desta vez o caso foi registrado nas proximidades de um posto de combustíveis na BR-116, na Vila Zumbi em Colombo. Conforme informações do Corpo de Bombeiros, o motociclista seguia na pista sentido São Paulo, e parou no posto para pedir socorro.

Ainda segundo os bombeiros, o relato da vítima foi de que “não percebeu o momento que foi atingido, só sentiu dor depois”.

 A vítima foi encaminhada ao Hospital Angelina Caron, em Campina Grande do Sul com ferimentos graves e com risco de morte.

Apesar de o uso de cerol ser proibido por lei no Paraná, casos de pessoas feridas e até mesmo de mortes decorrentes do uso do produto não são raros. Apenas nesta semana este foi o segundo caso. Na terça-feira uma rapaz de 21 anos foi atingido no pescoço por uma linha com cerol enquanto trafegava pela Rua Ludovico Kachel, no Bairro Campo Pequeno em Colombo.  

Lei

De acordo com o Corpo de Bombeiros nos períodos de férias escolares a quantidade de acidentes envolvendo linhas de pipas com cerol aumentam consideravelmente. O cerol é uma mistura de cola com vidro moído ou ainda limalha de ferro. Além do grande poder de corte, se transforma também em condutor de eletricidade quando utilizado a limalha e pode matar o usuário com uma descarga elétrica em apenas um toque nos fios de transmissão de energia.

A maior parte dos acidentes envolve motociclistas, mas também podem ser vítimas ciclistas, pedestres e até para os animais, como os pássaros.

A Lei 16246/2009 proíbe a fabricação e a comercialização da mistura e prevê multa de 500 UFIRs em caso de descumprimento. 

Colaboração Corpo de Bombeiros