27°
Máx
13°
Min

Hospital de Clínicas tem 120 dias para evitar interdição

(Foto: Reprodução) - Hospital de Clínicas tem 120 dias para evitar interdição
(Foto: Reprodução)

Além da greve de seus funcionários, o Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná (UFPR) enfrenta também o risco de interdição. O Conselho Regional de Medicina do Paraná (CRM-PR) fez uma visita à unidade nesta terça-feira (7) e emitiu um ato de Indicativo de Interdição Ética.

O ato abrange unidades de terapia intensiva cardiológica, pediátrica e neonatal e os responsáveis têm o prazo de 120 dias para se adequar. Na prática isso significa oferecer condições para o funcionamento destes três ambientes, com “condições de segurança, o que inclui disponibilidade de materiais e medicamentos e, também, pessoal de apoio de enfermagem”, conforme divulgou o CRM-PR. Enquanto isso, o atendimento segue normalmente.

Caso o HC não execute estas medidas dentro do prazo estabelecido pelo CRM-PR, será determinada a interdição ética das unidades. Consequentemente, os médicos estarão impossibilitados de exercer a medicina nestes locais.

O presidente do CRM-PR, Luiz Ernesto Pujol, apontou que diversos serviços do hospital, entre eles os leitos de UTI, estão ociosos e indisponíveis à população. O conselho divulgou ainda que Pujol considera a situação inconcebível.

Em nota, o HC reforçou que o ato não suspende o atendimento nas três unidades. Além disso, afirmou que “a crise financeira pela qual o Complexo HC passa é notória, sendo que nos meses de dezembro/15 e janeiro/16, momento da vistoria realizada pelo CRM, estava em sua fase aguda em relação ao abastecimento de insumos”. No momento, o hospital está com a defasagem de 13 enfermeiros e 15 técnicos de enfermagem nas três unidades abordadas.

“A ampliação do número de leitos dessas áreas depende da contratação de novos profissionais capacitados e qualificados via Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH) e acima mencionados”, diz o texto.