22°
Máx
14°
Min

IBGE aponta que mulheres trabalham mais do que os homens

(Foto: Divulgação / Rede Massa) - IBGE aponta que mulheres trabalham mais do que os homens
(Foto: Divulgação / Rede Massa)

A rotina de afazeres domésticos começa bem cedo para Patrícia Cristine, às 6h30. Somente depois de ajeitar a casa ela segue para o trabalho. Dona de uma clínica de estética com 17 funcionários, a fisioterapeuta passa pelo menos 12 horas atendendo os pacientes.

“Nessa época do ano, de janeiro a março, quando tem muita formanda, a gente sai daqui entre 0h, 0h30”, explica. Essa jornada faz parte da vida de muitas mulheres e, na última década, a carga horária só aumentou. Segundo a pesquisa mais recente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), elas passaram de quatro para cinco horas de trabalho a mais do que os homens por semana.

Além das 35 horas e meia no emprego, são ainda 21 horas semanais de afazeres domésticos – mais do que o dobro do que é realizado pelo sexo masculino. Nos últimos dez anos, inclusive, os homens reduziram em duas horas e meia as tarefas diárias no emprego e em casa.

“Quando a mulher sai para o mercado de trabalho, ela acumula as atividades. Porque mesmo sendo como ‘do lar’, é uma profissão regulamentada, ela continua com a profissão ‘do lar’ e mais a profissão que ela escolhe para exercer, que é remunerada”, comenta a professora de Economia Cleise Hilgemberg.

A mulher conquistou o mercado de trabalho, mas ainda falta alcançar a igualdade nos salários. “Na verdade, a gente percebe até por dados da ONU, que há essa discrepância. A mulher, em média, recebe até 20% a menos do que o homem. Os quadros ou cargos de maior importância ainda são direcionados ao homem”, conclui a advogada Consuelo Salamacha.

Colaboração Maira Zimermann, da Rede Massa.