27°
Máx
13°
Min

Índice de infestação de dengue está oito vezes acima do ideal

(foto: AEN/Arquivo) - Índice de infestação de dengue está oito vezes acima do ideal
(foto: AEN/Arquivo)

O secretário de Saúde de Londrina, Gilberto Martin, apresentou novos números da dengue na cidade. O último Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) ficou em 8,5%, quando o considerado satisfatório pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é de apenas 1%.

Quando o índice supera os 4%, há risco de surto de dengue.

Desde agosto do ano passado, foram confirmados 1.836 casos de dengue, o que caracteriza a epidemia da doença na cidade.  Martin afirmou que a falta do malathion, veneno usado para o fumacê, que deixou de ser entregue pelo Ministério da Saúde, colaborou para o aumento no registro de casos da doença.

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, nesta sexta-feira (18), chegam à cidade 1,4 mil litros de malathion e  já estão no município 10 caminhonetes da secretaria estadual da Saúde (UBV pesada) para iniciar a aplicação.

“A utilização do fumacê é uma das estratégias de controle da dengue, mas só atinge o mosquito adulto e não mata ovos e larvas. Por isso cada cidadão deve manter uma rotina semanal de eliminação de recipientes que acumulam água. Sem água parada o mosquito não se reproduz e reduzimos a possibilidade de novos casos de dengue, zika e chikungunya”, alerta a superintendente de Vigilância em Saúde, Cleide Oliveira.

Ainda de acordo com o secretário Gilberto Martin, as duas mortes registradas com suspeita de dengue neste ano foram descartadas nos exames realizados no Laboratório Central do Estado (Lacen).

(colaborou Odair José/Rede Massa)