23°
Máx
12°
Min

INSS confirma leilão de áreas da Vila Domitila para esta manhã

(Foto: Divulgação Câmara de Vereadores) - INSS confirma leilão de áreas da Vila Domitila para esta manhã
(Foto: Divulgação Câmara de Vereadores)

Apesar do impasse e da discussão em torno da posse dos terrenos da Vila Domitila, o leilão marcado pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), marcado para esta quarta-feira (8), vai ser realizado. “Não há impedimento legal para o leilão”, afirma a assessoria de comunicação do INSS. “Pelo contrário, o Tribunal de Contas está pedindo agilidade”.

Nem a CPI da Câmara de Vereadores e nem a alegação dos moradores de que a questão ainda não foi finalizada na Justiça, serviram de impedimento. A advogada Shirley Terezinha Bonfim, que é moradora do local e representa os moradores, lamentou o ponto em que a situação chegou. “Realmente a CPI não tem poder de impedir o leilão, mas os trabalhos de investigação dos documentos seguem”, disse. “Mas, é uma frustração, porque esses terrenos têm donos, as pessoas estão morando nas casas e o que é pior, não estão conseguindo se defender da forma legal na Justiça”.

Nesta tarde, às 14 horas, os vereadores que compõem a CPI da Vila Domitila, se reúnem na Câmara de Vereadores. No encontro, o perito Renor Valério da Silva, responsável pela medição da área em 1988, será ouvido. A Justiça Federal e o Tribunal Regional Federal da 4ª Região, ignoraram a perícia apresentada por ele, mas o Superior Tribunal de Justiça decidiu considerar o documento.  Foram convidados ainda presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (IPPUC), Sérgio Póvoa Pires; o defensor público Renato Costa Melo; a gerente executiva do INSS em Curitiba, Mara Regina Sfier; e a procuradora-chefe da Procuradoria Seccional do INSS, Luciane Maria Gervasio.

Leilão

Cinco terrenos compõem a área que será leiloada hoje. Ao todo, são 43.082 m² que foram avaliados em R$ 72 milhões. O maior dos terrenos mede 14.062,12 m² (Quadra H) e será leiloado com o preço mínimo de R$ 12,8 milhões. Os outros quatro terrenos se situam na Quadra G, com 6.957,27 m², avaliado em R$ 11 milhões; na Quadra K1, com 7.064,34 m² e lance mínimo de R$ 16,3 milhões; na Quadra M, com 9.521,51 m² e lance mínimo de R$ 21,4 milhões; e na Quadra N, com 5.477,46 m² e lance mínimo de R$ 10,5 milhões.

Colaboração Câmara de Vereadores