27°
Máx
13°
Min

Ivonei Sfoggia é nomeado para o cargo de procurador-geral de Justiça

(Foto: Divulgação/MPPR) - Ivonei Sfoggia é nomeado para o cargo de procurador-geral de Justiça
(Foto: Divulgação/MPPR)

O procurador de Justiça Ivonei Sfoggia foi nomeado pelo governador Carlos Alberto Richa, para o cargo de procurador-geral de Justiça. Ele foi o candidato mais votado na eleição realizada nesta segunda (14) pelos membros do Ministério Público do Paraná, recebendo 473 votos. Também integraram a lista tríplice o procurador de Justiça Cláudio Rubino Zuan Esteves, que recebeu 284 votos, e a promotora de Justiça Fernanda Nagl Garcez, que teve 274 votos.

O decreto de nomeação foi assinado na presença do procurador-geral de Justiça, Gilberto Giacoia. 

“Na linha dos princípios defendidos pela Instituição, enaltece-se mais uma vez a decisão governamental que, reconhecendo a importância republicana do Ministério Público, prestigia a vontade e orientação de seus integrantes no Estado do Paraná, chancelando o nome mais votado para o comando institucional, na condição de procurador-geral de Justiça, neste próximo biênio”, ressaltou Giacoia.

A cerimônia de posse do novo procurador-geral será realizada no dia 8 de abril, no Museu Oscar Niemeyer.

Atuação

Ivonei Sfoggia ingressou no Ministério Público do Paraná há 26 anos, como promotor substituto em São José dos Pinhais. Foi titular nas comarcas de Dois Vizinhos, Morretes, Paranavaí, Pato Branco e Curitiba, onde atuou na Promotoria de Justiça da Infância e Juventude, e coordenou os Caops da Saúde e das Comunidades. Presidiu a Associação Paranaense do Ministério Público (APMP) e a Fundação Escola do Ministério Público (Fempar), essa última por duas gestões. Exerceu, ainda, as funções de assessor especial da Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp) e, desde 2008, atua como diretor-secretário da Procuradoria-Geral de Justiça. Graduado em Direito pela Universidade Federal do Paraná, Ivonei tem especialização em Direito Contemporâneo e em Filosofia do Direito pelo Instituto Brasileiro de Estudos Jurídicos (IBEJ), e em Direito Sanitário, pela Universidade de São Paulo.

Colaboração Assessoria MPPR