24°
Máx
17°
Min

Jovem acusa seguranças de bar de negarem ajuda; direção nega e afirma que chamou a polícia

Uma agressão a uma jovem acabou se tornando caso de polícia na noite de sábado (3), em Curitiba. Depois de registrar o boletim de ocorrência da situação, ela divulgou o ocorrido nas redes sociais e já são muitos compartilhamentos e comentários sobre o caso.

A Natália conta que estava com o namorado comemorando o aniversário de uma amiga em um tradicional bar da cidade e que o problema teria começado quando levantaram para pagar a conta. “Nós fomos para pagar a conta e um homem veio atrás de mim me assediando”, disse. “Eu cheguei a olhar para ele e perguntar o que foi, mas ele não disse nada”.

Ela conta que pagaram a conta e na saída, na porta do bar, o “homem partiu para cima do namorado dela”. “Ele pegou meu namorado pelo pescoço, começou a bater nele. Eu fiquei desesperada, estava com um guarda-chuva na mão e comecei a tentar separar a briga, foi quando levei um soco no rosto”, afirmou. “Esse homem que começou a briga simplesmente me deu um soco no rosto. Fui xingada, humilhada e agredida”, acrescenta.

A jovem disse que “tudo aconteceu na porta do bar, que pediu ajuda aos seguranças do estabelecimento, mas que ninguém fez nada”. “Eu estava desesperada, pedindo ajuda e eles não fizeram nada, e ainda ajudaram o agressor, que voltou para dentro do bar. Depois quando a polícia chegou, eles disseram que o homem tinha ido embora”.

A polícia foi acionada e o boletim de ocorrência registrado. Natália relatou, no entanto, que “a polícia disse a ela, que infelizmente sem a presença do acusado, não era possível fazer nada”. “Nós nunca tínhamos visto aquele homem na vida, não sabemos quem ele é”, diz. “É uma situação muito traumatizante e, o pior é que o pessoal do bar (seguranças e responsáveis) ainda ficaram dizendo que a culpa era minha, que tínhamos que ir embora e não fazer tumulto na frente do bar”.

Na postagem de Natália ela afirma que “nunca mais voltará ao local”. “É saber que nunca apanhou do próprio pai mas levou um soco de um bêbado assediador. O mundo está cada vez mais nojento. Isso é um recado para todas as mulheres que costumam frequentar esse lixo de bar, saibam que todos os seguranças e o dono são apoiadores da famosa cultura do estupro”, afirma.

A reportagem entrou em contato com a direção do estabelecimento que “afirmou que houve um desentendimento na noite de sábado, mas que a história é diferente”. “O que aconteceu foi que o casal estava saindo e houve um esbarrão com um rapaz que estava entrando, como temos um fluxo grande de clientes, isso pode acontecer. Mas, não foi nada de mais, apenas um caso que poderia ter sido solucionado ali com um simples pedido de desculpas dos dois lados”, relata o gerente do estabelecimento Jorge Tonatto. “Depois disso, houve a confusão lá fora. Não foi no bar, foi lá fora. A moça estava bastante descontrolada, chegou a tacar um porta-cardápio em dos seguranças”, acrescenta.

Tonatto disse ainda, que “em nenhum momento os seguranças se negaram a prestar atendimento, mas que o fato aconteceu fora do estabelecimento e que o que poderia ser feito, que era acionar a polícia, foi feito”. “Como a confusão foi fora daqui, quando ela pediu ajuda nós acionamos a polícia”.