21°
Máx
17°
Min

Jovem corre risco de ficar cego após trote universitário

Uma brincadeira que terminou em tragédia. Essa é a história de Lucas, um adolescente de 17 anos, estudante de publicidade e propaganda que teve a visão comprometida após um trote acadêmico.

“Começaram a jogar vários tipos de pó. Teve uma hora que senti uma forte dor no olho, tipo um impacto, e depois disso começou a arder”, contou Lucas Dutra.

O trote aconteceu em uma rua ao lado da faculdade que fica no Centro de Foz do Iguaçu. Pelo menos 50 jovens participaram do que a princípio seria uma brincadeira, no dia seguinte, o pai de Lucas já percebeu que algo estava errado no olho do filho.

 “Eu percebi que estava vermelho. Nós compramos um colírio, mas não resolveu”, disse Elio Dutra.

A irritação nos olhos não passava e os pais de Lucas decidiram procurar um oftalmologista, aí veio a surpresa, ele estava com uma bactéria nos olhos.

“Os médicos acreditam que seja alguma bactéria d pó de madeira”, afirmou o pai.

Ele precisou fazer um transplante de córnea em Cascavel, mesmo assim, Lucas ainda não sabe se vai recuperar a visão. O procedimento cirúrgico custou 13 mil reais. Os amigos dele começaram uma mobilização nas redes sociais para pedir ajuda para pagar o valor.

Veja com Coração’ é o nome da página. A partir de agora a família vive o drama de aguardar os resultados dos exames para saber se Lucas vai ou não voltar a enxergar.

“Se a gente imaginasse que ia acontecer um negócio desse a gente nem mandava para a aula. O Lucas foi o maior prejudicado”, disse o pai.

Nossa produção entrou em contato com os estudantes organizadores do trote, eles lamentaram o ocorrido e disseram que jogaram nos estudantes somente ovo e farinha. Para você que pode ajudar essa família a pagar a dívida pode entrar em contato pelos telefones (45) 9944-2133 ou 3525-6032.

Colaboração: Márcio Falcão / Rede Massa