27°
Máx
13°
Min

Julgamento de Meneghel não tem data e nem local para ser realizado

(Foto: Viviane Nonato/Massa News/Arquivo) - Julgamento de Meneghel não tem data e nem local para ser realizado
(Foto: Viviane Nonato/Massa News/Arquivo)

O Júri popular do ruralista Alessandro Meneghel, que estava marcado para acontecer entre a manhã desta quinta-feira (23) e com previsão de encerramento na sexta-feira (24), está suspenso, por ora, por força de liminar expedida pelo Tribunal de Justiça, que julga o pedido de desaforamento, feito desta vez, pela defesa do acusado. Meneghel é réu no caso da morte do policial federal Alexandre Drummond Barbosa, ocorrido em 14 de abril de 2012, em Cascavel.

Com a justificativa de que o acusado é de família conhecida na região Oeste, a acusação pediu o desaforamento do julgamento. O pedido foi acatado pela Justiça, que transferiu o caso para a 2ª Vara do tribunal do Júri em Curitiba. O caso ‘quase’ foi finalizado, uma vez que nos dias 30 e 31 de março deste ano, réu, testemunhas e corpo de jurados se reuniram e pouco antes do término da sessão, a defesa abandonou o plenário e o júri foi cancelado.

O advogado Claudio Dalledone Junior, que defende Meneghel, disse que pediu o desaforamento por conta da “atitude da promotoria no último júri”. “Especificamente a promotora, que agiu de uma forma que não condiz com a Justiça. Por isso solicitei o desaforamento e o Tribunal concedeu a liminar”.

Não há como saber, por enquanto, se a mudança de local de julgamento será novamente acatada e nem quando o julgamento ocorrerá.

O caso

Alessandro Meneghel é réu confesso na morte de Alexandre Drummond Barbosa, que aconteceu na madrugada de 14 de abril de 2012, em frente a uma casa noturna de Cascavel. O ruralista foi preso horas depois do assassinato, chegou a ser encaminhado a Penitenciária Federal de Catanduvas e na sequência foi encaminhado a Penitenciária Estadual de Cascavel (PEC), onde ficou até o fim de 2015, quando conseguiu na Justiça o direito a prisão domiciliar, com uso de tornozeleira eletrônica.

As investigações apontaram que “Alexandre foi atingido por vários tiros de calibre 12 milímetros. Ele chegou a ser socorrido, mas morreu antes mesmo de dar entrada no hospital”.

A defesa de Meneghel alega que ele agiu em legítima defesa, e que inclusive foi atingido de raspão por tiros.