27°
Máx
13°
Min

Justiça acata denúncia e Ellen Homiak passa a ser ré na morte de Rodrigo Federizzi

(Foto: Divulgação) - Justiça acata denúncia contra Ellen
(Foto: Divulgação)

A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa concluiu na última semana o inquérito da morte do policial militar Rodrigo Federizzi. De acordo com o delegado-titular da DHPP, Fábio Amaro, a concluso das investigações seguiu o que já vinha sendo divulgado. “Concluímos que Ellen Homiak, a esposa do Rodrigo, foi a autora do crime e que ela agiu sozinha”, disse. O delegado destacou que o inquérito foi relatado ao Ministério Público e que restam pendentes ainda a inclusão de alguns laudos referentes a quebra de sigilo bancário e telefônico, mas, que mesmo assim, o MP ofereceu denúncia no caso. “O Ministério Público recebeu o inquérito, ofereceu denúncia e a Justiça já acatou essa denúncia”, explicou. “Desta forma, a Ellen passa a ser considerada ré no caso”, acrescenta.

Amaro também explicou que diante da situação, a prisão temporária de Ellen, foi convertida em preventiva. “Ela deve responder pelo caso na prisão”.

Relembre  

No dia 30 de julho, Ellen registrou na polícia o desaparecimento do marido. O relato dela à polícia foi de que “ele teria saído por volta de 10h30 do dia 28, sozinho, levando a arma da corporação e certa quantia em dinheiro e que afirmou que estava investigando o crime de roubo do qual ela teria sido vítima”.

Dias depois a polícia revelou que Ellen teria matado o marido, cortado as pernas, colocado o corpo em uma mala e enterrado as partes em uma área rural de Araucária. À polícia, depois de confessar o crime, a acusada disse que “a motivação para o crime seria financeira”, já que teria gastado as economias do casal.