21°
Máx
17°
Min

Laudo afirma que médica antecipou morte de pacientes

(Foto: Rede Massa) - Laudo afirma que médica antecipou morte de pacientes
(Foto: Rede Massa)

A médica Virgínia Soares de Souza antecipou a morte de pacientes que estavam internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Evangélico. Foi o que informou um laudo complementar realizado a pedido do Ministério Público do Paraná (MP-PR).

De acordo com o documento produzido pelo médico especializado em UTIs, José Mário Meira Teles, Virgínia e outras pessoas de sua equipe aplicaram doses excessivas de sedativos e analgésicos nos pacientes que morreram. O médico afirmou que as vítimas tiveram a morte antecipada.

Ao portal G1, o advogado de defesa da médica, Elias Mattar Assad, afirmou que não vai considerar o novo documento. "Nós temos um laudo oficial da Justiça, que é o laudo do Instituto Médico-Legal. Este laudo é altamente benéfico para a defesa. Aí existem os assistentes técnicos dos acusados, todos formularam trabalhos maravilhosos dentro da literatura médica mesmo, justificando tudo como normal. As coisas que aconteceram lá estão dentro da normalidade", afirmou.

Além de Virgínia, outras sete pessoas foram acusadas pelo MP por homicídio qualificado e formação de quadrilha. Ela chegou a ser presa em 2013, mas responde em liberdade.