26°
Máx
19°
Min

Mãe acusa omissão de socorro a preso morto com tuberculose

 Alisson Rafael Martins Pereira, de 20 anos, preso na Penitenciária Estadual de Londrina (PEL II), morreu na última sexta-feira (25) vítima de tuberculose no Hospital Universitário (HU). A doença é apontada como causa na certidão de óbito.

A mãe do jovem, Agda Martins Pereira, disse que percebeu a piora do estado de saúde do filho nas últimas visitas, e acusa a direção da penitenciária de omissão de socorro. “Ele estava desnutrido, não se alimentava há muito tempo. Começou a ter febres, dores, se queixou para os agentes, mas o pedido não foi atendido. Foram deixando, deixando, e chegou nesta situação que não teve mais jeito”, lamenta a mãe.

Dois presos estão internados no Hospital Universitário com tuberculose, e outros seis isolados dentro da unidade penitenciária para tratamento da doença.

Desde a rebelião registrada na PEL II, em outubro do ano passado, o acesso de advogados e da comissão de Direitos Humanos é restrito. A unidade, ainda sob reforma, abriga 760 presos.

A Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB – Subseção Londrina) enviou ofício ao Ministério Público, Vara de Execuções Penais e à direção da penitenciária solicitando informações sobre o estado de saúde dos presos.

Em nota, o Departamento Penitenciário (Depen) confirma os casos e garante que, neste mês, foi iniciado um mutirão de atendimento na penitenciária, com 70 presos sendo atendidos toda semana pelos setores de saúde, social e jurídico.

(colaborou Larissa Fernandes/Rede Massa)