23°
Máx
12°
Min

Mãe é presa por tráfico de drogas e põe a culpa no filho morto em Cornélio Procópio

(foto: Reginaldo Tinti/Anuncifacil) - Mãe é presa por tráfico de drogas e põe a culpa no filho morto
(foto: Reginaldo Tinti/Anuncifacil)

A noite violenta de 13 de abril em Cornélio Procópio, quando foram registrados dois homicídios praticamente simultâneos, teve consequências nesta terça-feira (19).  Por volta das 14h, a Polícia Militar foi acionada para atender um caso de tentativa de homicídio em uma área conhecida por ser invasão, nos arredores da Vila Moreira. O senhor chamou as autoridades para relatar que estava em sua residência quando ouviu diversos gritos e disparos de arma de fogo na rua.

Segundo relato da testemunha, quando saiu para ver o que estava acontecendo, visualizou um homem correndo em sua direção lhe pedindo abrigo e socorro. O homem estava fugindo de outros dois suspeitos, esses dispararam quatro tiros em direção à casa da vítima. Os projéteis atingiram o carro e o portão da casa da vítima.

O homem chama-se Marcos, é mais conhecido na região como Popeye. De acordo com a apuração da PM o homem também é morador da área de invasão. Marcos estava sendo perseguido por outros dois moradores da região.

Ligação dos crimes

Informações da PM dão conta que todos os envolvidos são conhecidos do meio policial por estarem envolvidos com o tráfico de drogas e outros crimes. Marcos, o homem que foi vítima nesta terça feira (19), é suspeito de ser o mandante do assassinato de Matheus Henrique Carvalho Pedro, de 18 anos. Mais conhecido como Gaguinho, o jovem foi assassinado com diversos disparos de arma de fogo na última quarta-feira (13), em uma das ruas da mesma região da cidade.

Para as autoridades responsáveis pelo caso, a tentativa de homicídio desta terça feira (19) foi uma retaliação ao assassinato de Matheus. Buscas foram feitas na região, mais nenhum dos suspeitos foram encontrados.

Família do tráfico

Ainda nesta terça feira (19),  enquanto estavam em busca dos suspeitos da tentativa de assassinato, policiais militares averiguaram denúncias feitas anteriormente por moradores que se referiam ao tráfico de drogas. Um bar era usado como disfarce para o comércio ilegal. A dona do bar é uma mulher conhecida por Michele, mãe do jovem Mateus Henrique Carvalho Pedro, de 18 anos de idade, o “Gaguinho”, assassinado na semana passada.

Ao chegar no local, a PM fez uma varredura em um matagal no entorno do bar e na casa da suspeita. As autoridades encontraram 374 gramas de maconha divididas em dois pedaços enterrados na mata.

Na casa foram apreendidos vários aparelhos celulares, R$1.073,00 em notas diversas e uma folha de cheque e papel alumínio, que geralmente é usado para embalar drogas pelo tráfico.

A PM já tinha conhecimento, através de denúncias e investigações, que o tráfico na região é controlado por Michele e Marcos Popeye. Michele foi levada a 11ª SDP junto com o material encontrado. Segundo a PM, nos arredores do bar de Michele, pode haver mais drogas escondidas, pois o filho dela, o “Gaguinho”, trabalhava para Popeye, até que houve um desentendimento entre eles, que culminou em sua morte.

Na delegacia, Michele negou o crime e afirmou que a droga pertencia ao filho assassinado. Quanto ao dinheiro apreendido, a mulher afirmou que seria usado para o pagamento do funeral de Mateus, que ela recolheu junto aos parentes.

(colaborou Danilo Brandão)