22°
Máx
16°
Min

Mães de alunos da APACD fazem vaquinha para custear transporte

A Associação Ponta-grossense de Assistência à Criança com Deficiência (APACD) está passando por dificuldades e, por isso, as mães dos alunos estão pedindo ajuda da comunidade para manter o funcionamento da instituição.

A APACD atende 150 crianças e jovens com deficiência física e mental em tempo integral. Além de alimentação, eles recebem toda assistência que precisam com profissionais de diversas áreas. Mas a instituição, que é mantida com verbas públicas, está passando por um momento difícil e por isso a Associação das Mães de Menores Especiais (AMME) faz um apelo a comunidade para conseguir doações.

“A entidade precisa de várias coisas: alimento, material de limpeza, agasalho, a gente está fazendo uma vaquinha online para manter o combustível”, explica Tatiana Alves, vice-presidente da AMME.

Por causa das dificuldades financeiras o transporte dos alunos chegou a ser interrompido por três semanas por falta de gasolina. Neste período, várias crianças ficaram sem frequentar a instituição. Mãe de aluno, Célia Schrader lembra do período em que a filha não pode ir para a escola pela falta do transporte. “A atendente falou ‘mãe, hoje e amanhã a gente vai parar o transporte’. Eu fiquei chocada porque a Isabela [filha] vem à escola há 17 anos e ela gosta muito da escola porque ela entende tudo, mas não tem como ir em outra escola. Ela ficou uns 15 sem vir para a escola”.

Os gastos com transporte chegam a R$ 5 mil por mês e, para manter esse serviço essencial, a Associação das Mães criou uma Vaquinha Virtual para pedir ajuda da comunidade.

Para contribuir basta entrar na página da AMME no Facebook e acessar o site da vaquinha. A doação pode ser feita por boleto bancário ou cartão de crédito, em qualquer valor. A AMME ressalta que o trabalho realizado pela APACD é muito importante e não pode parar.

“Nossas crianças têm uma complexidade elevada, são crianças que a gente não consegue fazer a inclusão nas escolas normais, então a criança fica aqui assistida o dia, todo em tudo o que ela necessita”, completa Tatiana.

Colaboração Maira Zimermann, da Rede Massa.