23°
Máx
12°
Min

Mantida demissão por justa causa de trabalhador que tirou cochilo e paralisou usina em Maringá

(Foto: TRT-PR) - Mantida demissão por justa causa de trabalhador que tirou cochilo e paralisou usina
(Foto: TRT-PR)

A 1ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho do Paraná (TRT-PR) manteve a demissão por justa causa de um trabalhador de Maringá que cochilou e provocou a paralisação total de uma usina de açúcar por cerca de 2h. Ao recorrer da decisão da 2ª Vara do Trabalho do município, ele alegou que não havia motivo grave o suficiente para a exoneração.

No pedido de reversão, o operador de uma pá carregadeira argumentou que sempre atuou de maneira exemplar na empresa – a Usina Santa Terezinha – e que o fato de ter dormido “não colocou em risco de vida os empregados da ré e não gerou prejuízos”.

O caso em discussão trata do episódio em que o trabalhador colocou a pá carregadeira em ponto morto para dormir. Por causa disso, sobras de bagaço de cana entupiram as esteiras, o que desarmou o sistema e exigiu a paralisação das caldeiras.

Os desembargadores não acolheram os argumentos e deram ganho à usina. "É possível concluir que o 'cochilo' do trabalhador tratou-se de atitude deliberada, o que compromete severamente a fidúcia necessária entre a empregadora e o empregado, dada a relevância que as atividades desempenhadas pelo recorrente representam no processo produtivo da ré", diz o acórdão publicado pela Justiça.

O TRT entendeu que houve negligência por parte do operador, com risco à segurança dos colegas de trabalho e também prejuízos financeiros à empresa.

Colaboração TRT-PR