23°
Máx
12°
Min

Médicos param de atender por falta de pagamentos e contratos

Coletiva esclareceu dúvidas sobre os atendimentos (Foto: Márcio Falcão) - Médicos param de atender por falta de pagamento
Coletiva esclareceu dúvidas sobre os atendimentos (Foto: Márcio Falcão)

Cerca de 20 médicos de Foz do Iguaçu paralisaram as atividades, nas UPAs da cidade, na quinta-feira (18). Os profissionais decidiram pela medida, pois afirmam que estão sem pagamento e alguns sem os contratos regulares com o município.

Em coletiva, nesta sexta-feira (19), a secretária de saúde, Alice Macedo, afirmou que a prefeitura tem tentado resolver o problema. Os pacientes estão sendo orientados a procurar as unidades de saúde dos bairros, deixando as UPAs para urgências e emergências. Ainda conforme a secretária, medidas devem evitar mais prejuízos à população.

Ainda segundo a secretária, assim que houver dinheiro no caixa, os servidores vão receber os salários atrasados. A procuradoria do município também já orientou para que os médicos que não possuem contrato regular, procurem a justiça para comprovar os atendimentos realizados e poder, assim, receber os valores dos serviços.

A prefeitura de Foz do Iguaçu, emitiu uma nota esclarecendo o caso. Confira:

A secretaria municipal da Saúde informa que os pagamentos das empresas credenciadas e que tem contrato em vigor estão sendo processados e havendo comprovação dos serviços que foram prestados, os pagamentos do mês de julho e seguintes ocorrerão normalmente.

Referentes aos meses de abril e maio foram identificadas pendências e serão pagas na medida em que haja disponibilidade financeira.

As empresas ou pessoas físicas que não possuem credenciamento ou contrato em vigor junto ao município, mas alegam que possuem direito de receber pelos serviços prestados junto às unidades básicas de saúde, a secretaria aguarda parecer junto à Procuradoria Geral do Município para que as devidas providências sejam tomadas.

Quanto à manutenção dos contratos em vigor, a secretaria deu início ao processo de apostilamento de contratos para redimensionar a quantidade de horas efetivamente ofertadas pelas empresas, e se for o caso, será feito o encerramento dos contratos daquelas que não tiverem mais interesse em continuar prestando serviços, dando lugar a novos credenciamentos.

Mesmo com a paralisação parcial dos médicos nesta quinta-feira (18), o atendimento ao público não foi prejudicado, tanto no PA Morumbi como na UPA João Samek.

A prefeita Ivone Barofaldi visitou os dois locais no início da tarde e constatou o funcionamento de ambos.

Para mais informações e com o objetivo de esclarecimento, amanhã, sexta-feira (19) as 9 da manhã, será realizada uma entrevista coletiva na sala de reuniões da prefeitura com a secretária municipal da Saúde, Alice Maria Macedo. Toda imprensa está convidada.

Colaboração: Márcio Falcão / Rede Massa e Assessoria prefeitura