22°
Máx
16°
Min

Medo da gripe H1N1 aumenta procura por álcool em gel

(Foto: Divulgação / Rede Massa) - Medo da gripe H1N1 aumenta procura por álcool em gel
(Foto: Divulgação / Rede Massa)

A procura por álcool em gel aumentou bastante, principalmente depois da confirmação do primeiro caso da gripe H1N1 em Ponta Grossa. Uma rede de farmácias de Ponta Grossa que manipula o álcool em gel aumentou a produção de 15 para 400 frascos por semana.

O gerente Duilio Marques explica o crescimento nas vendas aconteceu principalmente depois do aumento no número de casos em São Paulo. “Através do noticiário as pessoas começaram a ter essa procura maior. Com a confirmação de um caso em Ponta Grossa também, aumentou a venda drasticamente”, comenta.

A cabeleireira Elzi de Paula é proprietária de um salão de beleza e já garantiu o produto para ela e para os clientes. “Aonde circula bastante gente, temos que ter direto, não pode deixar faltar”, garante.

Para evitar o contágio de qualquer vírus, o ideal é sempre lavar muito bem as mãos, o que nem sempre é possível. E é aí que entra o álcool em gel, que pode ser carregado para qualquer lugar. Mas é preciso ficar atento porque, para matar o vírus da Influenza, é necessário usar o álcool 70.

Além disso, o produto deve ser reaplicado com frequência, conforme explica a infectologista Gabriela Magraf. “O álcool gel faz parte da higienização das mãos como lavar com água e sabão. Ele é antisséptico, é capaz de eliminar todos os tipos de bactérias e vírus, tudo o que tiver na mão suja”, detalha.

Somado à higienização das mãos, outros cuidados também ajudam a prevenir contra qualquer tipo de gripe, incluindo a H1N1. “Principalmente nessa história de gripe, a gente deve evitar lugar muito fechado, sem circulação de ar”, completa a médica.

Colaboração Maira Zimermann, da Rede Massa.