20°
Máx
14°
Min

Ministério Público deflagra operação contra fraudes em licitações de transporte coletivo

(Foto: Divulgação/Gaeco-PR) - Gaeco mira fraudes em licitações de transporte coletivo
(Foto: Divulgação/Gaeco-PR)

A Operação Riquixá, desencadeada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), em várias cidades do Paraná, ainda em Santa Catarina, no Distrito Federal e em São Paulo, cumpre seis mandados de prisão, 29 mandados de condução coercitiva (quando a pessoa é levada à delegacia para prestar esclarecimentos) e 53 mandados de busca e apreensão.

As informações do Ministério Público, são de que as investigações são referentes a existência de uma organização criminosa do segmento de concessão de transporte coletivo urbano.

O Gaeco e o Grupo Especializado na Proteção do Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa (Gepatria) de Guarapuava, coordenam a ação. Ainda segundo o MP, também são investigadas fraudes a licitações, corrupção ativa e crimes contra a ordem econômica.

O Gaeco divulgou que as investigações foram iniciadas em 2013 e apontam para a participação de integrantes de empresa de engenharia especializada em transporte coletivo, advogados e representantes de empresas de ônibus, em um grupo criminoso, que utiliza “laranjas” e sociedades complexas para ocultar um grupo econômico. Indícios apontam que a organização vinha agindo desde 2009, levando agentes públicos a entrarem no esquema.

Os mandados foram expedidos pela 1ª Vara Criminal de Guarapuava e estão sendo cumpridos em Guarapuava, Foz do Iguaçu, Maringá, Ponta Grossa e Curitiba, além de Santa Catarina, São Paulo e no Distrito Federal.

Colaboração Ministério Público