22°
Máx
17°
Min

Ministério Público pede anulação do contrato para coleta de lixo em Maringá

O Ministério Público entrou com um pedido de liminar para que o contrato da coleta de lixo entre a Prefeitura Municipal de Maringá e a empresa Constroeste seja suspenso de imediato. O promotor Pedro Ivo Andrade quer a anulação do vínculo. Até lá, pede que ele seja interrompido para que não gere custos aos cofres púbicos. 

Para Andrade, o contrato tem problemas sérios que levam à anulação, como a inexatidão em relação à quantidade de lixo que deve ser coletada e como a prefeitura chegou aos valores que deveriam ser pagos. Por isso, quer a suspensão até que a Justiça avalie o mérito do pedido de nulidade.

Antes do Ministério Público questionar o contrato, a Câmara de Maringá e o Observatório Social (OS) já haviam apontado problemas. Para o OS, as falhas começaram ainda na licitação.

A empresa Constroeste começou esta semana na coleta de lixo e deve receber cerca de R$ 28 milhões ao ano. Veja a matéria de William Souza e Alex Magosso da Rede Massa/TV Tibagi.