24°
Máx
17°
Min

Ministério Público pede interdição de mais dois viadutos na PR-445

(Foto: DER/Divulgação) - Ministério Público pede interdição de mais dois viadutos na PR-445
(Foto: DER/Divulgação)

O promotor de Defesa dos Direitos e Garantias Constitucionais, Paulo Tavares, pediu à justiça que determine a interdição de mais dois viadutos da obra de duplicação da PR-445, em Londrina. 


 O Clube de Engenharia e Arquitetura de Londrina (Ceal) encaminhou ao Ministério Público no início desta semana um documento reprovando o memorial de cálculo entregue pela construtora responsável pelo viaduto da PR-445 com a avenida Dez de Dezembro. O presidente do Cela, José Fernando Garla, afirmou que as informações “não convencem que a obra é estável”.

Com base no parecer do Ceal, o Ministério Público pede que também sejam paralisadas as obras do viaduto da rodovia com a avenida Guilherme de Almeida, que ainda estão na fase de terraplanagem, e do viaduto com a avenida Waldemar Spranger, este já em fase adiantada, com passagem de veículos por debaixo da rodovia.

Como a recomendação é apenas para paralisação da obra, o trânsito de veículos no local segue normalmente.

Os trabalhos no viaduto da PR-445 com a avenida Dez de Dezembro estão suspensos desde 10 de fevereiro, por decisão judicial a pedido do Ministério Público, com o entendimento que as rachaduras visíveis na obra representam um “perigo eminente” à população.

Em nota enviada na semana passada, o DER afirma que as rachaduras são uma “fatalidade rara” provocada por um deslocamento leve em decorrência das fortes chuvas que caíram na região. O órgão garante que todas as medidas necessárias para garantir a segurança da obra foram tomadas.