21°
Máx
17°
Min

Ministério Público pede interdição de minipresídio

Minipresídio registra superlotação crônica (Foto: Google Street View) - Ministério Público pede interdição de minipresídio
Minipresídio registra superlotação crônica (Foto: Google Street View)

O Ministério Público de Paranavaí pediu a interdição do minipresídio da cidade, que abriga atualmente cerca de 250 presos, mas tem capacidade para 90. A promotora Andrea Fabiana Pussi Baradel assina o documento, que requisita a remoção dos detentos para unidades adequadas, no prazo máximo de 30 dias.

Em dezembro do ano passado, os presos se rebelaram em Paranavaí em virtude da superlotação e da má qualidade da comida. Durante o motim, boa parte da estrutura do prédio foi destruída e continua bastante precária.

“Nós pedimos essa interdição por tudo que vem sendo verificado, principalmente a superlotação”, explicou a promotora Andrea Fabiana Pussi Baradel. 

Na tarde desta quinta-feira (3), um detento foi encontrado morto no minipresídio. Ele teria sido assassinado durante uma discussão por causa de comida. O fato deixa a promotora ainda mais preocupada com a situação carcerária em Paranavaí. “Isso agrava. Os presos já estão bastante nervosos”, destacou. 

No pedido feito à Justiça, o Ministério Público pede multa diária de R$ 10 mil ao governo do Estado em caso de descumprimento.