28°
Máx
17°
Min

Missa celebra centenário de nascimento de dom Jaime Coelho em Maringá

Dom Jaime chegou a Maringá em 1956 (Foto: Divulgação) - Missa celebra centenário de nascimento de dom Jaime Coelho
Dom Jaime chegou a Maringá em 1956 (Foto: Divulgação)

O primeiro bispo de Maringá, dom Jaime Luiz Coelho, completa seu centenário de nascimento nesta terça-feira (26). Em sua homenagem, o arcebispo dom Anuar Battisti celebra uma missa em ação de graças às 18h30, na Catedral Basílica Menor Nossa Senhora da Glória.

É na Catedral em que o corpo de dom Jaime – que faleceu em agosto de 2013, aos 97 anos – está sepultado. Natural de Franca (SP), ele chegou a Maringá em dezembro de 1956 e teve uma grande importância no desenvolvimento da cidade.

O bispo deixou um legado de realizações no campo pastoral, educacional, social e cultural, marcando o crescimento e organização de Maringá. 

Merecedor

O pesquisador e historiador Reginaldo Benedito Dias defende que seria preciso uma homenagem ainda maior ao bispo pela sua importância a Maringá. Ele sugere que dom Jaime tenha seu nome usado em uma importante via ou praça, mas que também existam estratégias do resgate de sua memória. Para o pesquisador, Coelho é o personagem mais influente das primeiras décadas de Maringá, um município próspero, mas que ainda havia muito a se fazer.

Dom Jaime não era uma liderança enclausurada, mas estava sempre próximo da comunidade, tomando pautas que iam além dos assuntos eclesiais, como a educação. Ele incentivou a expansão escolar e trouxe colégios importantes, como o Regina Mundi, Marista e São Francisco Xavier.

Também impulsionou a criação do curso universitário de Economia, o primeiro de Maringá, que depois seria o embrião da Universidade Estadual, pelo qual ganhou o título Honoris Causa.

“É muito difícil olhar para Maringá e não encontrar vestígios de dom Jaime em qualquer campo que a gente analise”, aponta o pesquisador.